Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas da Cidade dos Leões

Um blog que adora partilhar dicas e reflexões sobre lifestyle, descobertas e organização. Sejam Bem Vindos!

Crónicas da Cidade dos Leões

Um blog que adora partilhar dicas e reflexões sobre lifestyle, descobertas e organização. Sejam Bem Vindos!

5 Ideias para Festejar a Páscoa

Festejo a Páscoa com afinco, em primeiro lugar porque aproveito todas as ocasiões para festejar e em segundo porque sou de religião católica e esta festa é a mais importante deste calendário. 

Por vivermos em França fazemos normalmente uma Páscoa contida, a maior parte das vezes a dois, e este ano não será exceção. Especialmente com as medidas de confinamento que vêm, pela terceira vez, impor-se à região de Lyon as nossas opções ficam ainda mais limitadas. 

Não sou a favor de gastar uma fortuna na Páscoa e as minhas despesas são simplesmente uns chocolates e flores para enfeitar a mesa, um boneco de chocolate para o maridão (que me dá mais prazer a mim a oferecer do que outra coisa) e um almoço um bocadinho mais caprichado (porque sim, sim podemos estar "confinados" mas a barriga não tem culpa e estamos de boa saúde). 

Por isso aqui vos deixo algumas ideias de como nós organizamos o nosso Dia de Páscoa e, quem sabe, isso vos possa dar também algumas ideias a vocês!

 

- Casa decorada e mesa posta:

Para mim é essencial ter uma mesa bem arranjada! Não tenho um grande serviço de jantar mas o que tenho é colocado a uso com frequência porque acredito que as coisas são para serem usadas (e aproveitadas). 

Para a decoração limito-me, porque esta parte é da minha responsabilidade, a ir buscar um ou dois objetos decorativos especiais de Páscoa que tenho há já algum tempo e a comprar um ramo de flores bem primaveril. 

A decoração da mesa é feita à base de chocolates e velas e recorro muitas vezes a copos ou outros utensilios do quotidiano para me servir de objetos decorativos. O pinterest é uma mina de ouro de ideias por isso não deixem de dar uma espreitadela por lá! 

 

- Almoço caprichado:

Não temos nenhum prato específico de Páscoa, apesar de a sobremesa tradicional cá de casa ser um cheesecake de oreo (se a receita vos interessar não deixem de me fazer um sinalzinho).

A entrada e o prato principal são da responsabilidade do homem da casa que aproveita este dia para se divertir a cozinhar e a praticar as suas técnicas preferidas na cozinha. 

Claro que esta atividade é pensada a dois e é normalmente uma atividade em equipa que nos ocupa a manhã e que é realizada com música e bom humor. 

 

- Tarde de Jogos de Sociedade e passeio no parque perto de casa:

Normalmente optamos por dedicar a tarde aos jogos de sociedade ou a um passeio no parque perto de casa se o tempo o permitir.

São dias em que preferimos ficar mais por casa pelo que também não ficaremos frustrados pelo confinamento. 

 

- (Video)chamadas com a família:

Apesar de fazermos videochamadas frequentes com os nossos pais, aproveitamos este dia para lhes dedicar mais algum tempo e estreitar laços.

Normalmente as avós e as madrinhas fazem também parte das pessoas com quem gosto de falar. 

 

- Caça ao Ovo:

Esta tradição bem francesa, e que nós ainda não realizamos, consta em esconder ovos pequenos pela casa ou pelo jardim (ainda melhor) e deixar os miúdos divertirem-se a procurar enquanto correm por todo o lado.

Serão com certeza ovos mais modestos mas o facto de serem muitos e de serem encontrados em forma de jogo marcar-lhes-à de certeza o espírito! 

 

E vocês, quais as ideias para festejar a Páscoa que gostariam de partilhar connosco? Alguma tradição caseira habitual por aí? 

Um grande beijinho e até ao próximo post!

eugenivy_now-Y_KTRlX5UB0-unsplash.jpg

Photo by Євгенія Височина on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

Vai um Crepe?

Hoje aqui por terras gaulesas celebra-se a Chandeleur que, simplificando as coisas, é conhecido como o "Dia de Comer Crepes". 

Para saberem mais sobre o assunto deixo-vos um post da querida Patrícia do As Nossas Voltas que tantas vezes já explicou esta festa (e deixou mesmo algumas receitas) e aproveito para lhe desejar uma rápida recuperação. 

Neste dia (e durante todo o mês de Fevereiro) comer crepes é uma tradição por aqui. Sejam eles doces ou salgados, simples ou combinando diversos tipos de farinha (os de trigo serraceno típicos da Bretanha continuam a ser os meus preferidos) eles podem dar origem a uma refeição fácil e convivial que alegra as papilas de pequenos e grandes. 

Eu não sei vocês mas eu não conheço coisa melhor do que fazer o Mundo à volta de uma boa refeição mesmo que em pequeno comité. 

Sendo assim, e caso precisem de uma desculpa para comer um docinho, desejo-vos uma excelente festa dos crepes. 

Um beijinho e até ao próximo post! 

delaney-van-s_aGnOcfCq0-unsplash.jpg

Photo by Delaney Van on Unsplash

 

Lição de Vida... Num Chocolate

O meu trabalho é, muitas vezes, uma fonte enorme de assuntos de reflexão. E muitas vezes fazer a diferença na vida das pessoas não é tão levado ao extremo como mostra o Dr. House mas apenas são precisas pequenas alegrias e apoio suficiente para colocar um sorriso na cara de alguém. 

O Sr. S (chamemos-lhe assim) está no nosso serviço desde há 15 dias. Entrou de urgência para ser sujeito a uma cirurgia cardiaca ao estado de quase vida ou morte. O Sr. S. está sozinho no Mundo, não se entende com os familiares mais próximos e os seus problemas económico-sociais são bastantes graves. 

Para ajudar à festa o Sr. S. sofreu uma amputação do membro inferior esquerdo há pouco menos de um ano e está consciente de que o direito não tardará muito a sofrer o mesmo destino. 

Um destes dias dizia-me ele com um sorriso triste que foi o preço que pagou por ser "um grande comilão, um grande bebedor e um grande fumador". Eu respondi-lhe que erros cometemos todos e que era para a frente o caminho. Sinceramente ainda não aprendi, se é que algum dia vou aprender, a lidar com uma situação destas e saem-me sempre "frases cliché". 

Na Sexta Feira passada, enquanto fechava os meus registos da semana, ouvi o Sr. S. dizer a um jovem enfermeiro que lhe apetecia um bocadinho de chocolate.

Olhei para a colega de enfermagem que estava por perto (e que conheço bastante bem pelo que não precisei de muito tempo para perceber o que ela ia fazer) e ouço-a chamar o colega e colocar-lhe algumas questões clínicas sobre o doente. E a seguir fomos buscar um chocolate para o Sr. S. ...

E nesse momento, enquanto assistiamos a um homem adulto comer um chocolate até se lamber os dedos (literalmente) com um sorriso infantil sentimos que fizemos alguma coisa de importante por ele.

Porque são estes atos, que vão mais longe do que uma exímia perícia técnica ,que é certo bem necessária, que fazem um paciente se sentir acompanhado no hospital onde está. 

No fim agradeceu-nos a todos (porque toda a equipa se envolveu na "caça ao chocolate") e confessou-nos que não comia um pedacinho de chocolate há mais de um ano e que já se tinha esquecido de como era tão bom. 

E nós, que tantas vezes nos esquecemos de aproveitar os pedacinhos de chocolate que a vida nos vai oferecendo e que, provavelmente, só nos aperceberiamos de como tinhamos sorte em tê-los quando os perdemos. 

E assim o Sr. S. deu-nos uma lição de vida bem mais valiosa do que o pobre chocolate que fomos buscar para lhe dar!

Já agora, para todos aqueles que podem chocar-se com o facto de termos oferecido um chocolate a um paciente tenho a dizer que um bocadinho de açucar não o vai matar mas irá, com certeza, dar-lhe algum alento para o longo caminho que ainda irá terá pela frente. E às vezes é de fé e alento o que mais falta numa cama de hospital... 

daniel-fazio-JBN6FHP5VXk-unsplash.jpgPhoto by Daniel Fazio on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

Descobrir Lyon #2: Fête des Lumières

Post n.º 8 do Calendário do Advento da Nala

A Cidade de Lyon, em França, que me acolhe desde 2016 têm uma grande tradição à volta do dia 8 de Dezembro.

É por estes dias que a famosa Fête des Lumières (ou Festa das Luzes, em Português) ilumina os principais pontos turísticos do centro histórico da cidade e quando as luzes de Natal se acendem. 

A Festa das Luzes, como se conhece hoje, advém de uma tradição muito antiga em honra de Nossa Senhora. 

Em 1168 é construída na Colina de Fourvière, um dos pontos mais altos da cidade, uma capela em homenagem à Virgem. Esta é renovada e acolhe peregrinos todos os anos pelo 8 de Setembro. 

Chegado o ano de 1643 os representantes da cidade sobem à colina para pedir a proteção divina contra a peste que assola o Sul de França. Lyon foi poupada nesta ocasião e em muitas outras situações semelhantes ao longo da história o que faz aumentar a devoção dos seus habitantes a Notre Dame de Fourvière

Em 1850, as autoridades religiosas lançaram um concurso para a realização de uma estátua de Nossa Senhora que seria colocada no topo da colina. A sua inauguração estava prevista para o dia 8 de Setembro de 1852 mas é adiada para o dia 8 de Dezembro do mesmo ano, devido a uma cheia no rio Saone.

Nesse dia o tempo estava bastante mau e mais uma vez as autoridades religiosas estavam à beira de anular a festa... só que o céu acabou por ficar limpo e os moradores dispuseram, de forma completamente espontânea, velas a arder nas suas janelas.

Quando a noite caiu toda a cidade estava iluminada. Os religiosos continuaram o movimento acompanhados pelo povo e a capela de Fourvière aparece a brilhar na noite de Lyon

Desde esse dia uma verdadeira tradição nasceu e os Lyonnais colocam os chamados "lumignons" nas suas janelas, colocam os enfeites de Natal e as iluminações de Natal públicas são inaugurados nesse dia. 

Desde 1999 a Festa das Luzes ocorre por quatro dias (sempre à volta do 8 de Dezembro) e acolhe visitantes do Mundo inteiro. 

Este ano, e devido à pandemia não haverá Festa, apesar de algumas iluminações abrilhantarem a cidade, mas toda a gente já preparou os seus lumignons. Os nossos estão ali à espera de ir para a janela! 

Fonte: https://www.fetedeslumieres.lyon.fr/

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

Emily... e os clichés (contém spoilers)

A visão da Série pelos olhos de uma Portuguesa em França

Olá a todos! Tendo em conta a necessidade de uma nota mais positiva à hora em que a França se reconfina trago-vos um post sobre a série do momento: "Emily in Paris"

Se ainda não a viste, e pretendes ver, aconselho-te a parar por aqui a leitura do post porque tem spoiler!  

Duas pequenas precisões em relação a este post: em primeiro lugar adorei a série. É leve, ligeira, bem disposta e faz-nos sonhar! Em segundo, e para aqueles que não me conhecem, sou uma portuguesa que vive em França há cerca de 6 anos e em Lyon desde 2016, pelo que já começo a conhecer um bocadinho os "usos e costumes". 

Pessoalmente acho que a série está tanto cheia de clichés sobre os franceses, como sobre as jovens americanas ou as raparigas que desejam ser digital influencers

Decidi no entanto escolher alguns dos pontos mais criticados pelos franceses em geral e parisienses em particular sobre a série para comentar convosco. 

Antes de começar deixo-vos apenas uma pequena chamada de atenção. Como tudo o que passa em França a Netflix fez uma dobragem para francês da série o que faz com que a história tenha sido alterada. Na versão original Emily não fala francês mas, na versão dobrada, fala... 

Apesar de não ter visto esta versão acredito que essa possa ser uma das razões pelas quais a visão da história seja tão diferente conforme a versão vista. Pessoalmente, e depois de perguntar a alguns franceses (não parisienses) a sua opinião é de que a série é cheia de clichés mas não ofensiva e consideram-na ligeira e divertida. No entanto todos eles a viram na sua versão americana. 

Preparados para os nossos clichés?! 

 

- Começar a trabalhar às 10h da manhã: Se é falso que em França se começa a trabalhar tão tarde não deixa de ser verdade que, pelo menos pela minha experiência, há muito o hábito de primeiro fazer a "Pause-Café" e só depois se começar a trabalhar a sério. Por isso considero esse cliché meio-meio; 

 

- Os Franceses são uns sedutores natos: Se na série parece que todos os homens são belos e sedutores a verdade é que essa parte é mesmo mito! (Por experiência própria já que me casei com um português que conheci em França)  E já agora fiquem a saber que nem toda a gente têm a sorte de ter um vizinho girissimo como Emily...

 

- Os franceses não gostam de quem não fala francês: Os franceses preferem alguém que saiba falar francês e, em alguns casos, podem ser mesmo um bocadinho "mauzinhos" quando sentem que a pessoa não está muito à vontade com a língua (felizmente são uma minoria).

Sempre considerei que este facto se deve a uma certa inaptidão cultural para falar línguas estrangeiras e uma antipatia histórica com tudo o que os liga a Inglaterra.

Aposto que, se a história fosse real, teriamos muitas pessoas a abandonar a sala na primeira reunião de Emily com a equipa da "Savoir".

Outra situação que pode ser mal compreendida na série é quando Emily compra o seu primeiro "Pain au chocolat" e é mal recebida pela senhora da padaria. Para mim (e para pelo menos mais duas ou três bloggers ou youtubers estrangeiros que vivem ou conhecem bem a França ou os franceses) esse "mau atendimento" devesse sobretudo ao facto de Emily não ter dito "bonjour" (bom dia), o que por aqui é considerado de extremo mau gosto.

Uma dessas estrangeiras (de origem norte-americana) falava mesmo do facto de, nos EUA, o "bom dia" numa situação semelhante não ser necessário pelo que, para Emily, não haveria falta de educação... 

 

- O apartamento de Emily: O apartamento de Emily tem uma vista lindissima e é uma "chambre de bonne" (apartamento da empregada em tradução direta e que se situa nas águas furtadas dos prédios parisienses).

Em primeiro lugar é de notar que a bela vista dos apartamentos de Paris é um super cliché, já que há uma boa parte que dão para muros, para o prédio em frente e por aí fora.

E a segunda precisão é que, um verdadeiro apartamento nos telhados, é bastante pequeno, com mais ou menos 9m2 e com a casa de banho partilhada pelos habitantes dos apartamentos do mesmo andar. Ora Emily têm um grande apartamento (para os tamanhos médios no centro de Paris) e uma casa de banho própria... 

 

- As mulheres francesas andam sempre bem vestidas: Todas as personagens femininas francesas da série, como Camille e Sylvie, aparecem sempre extremamente elegantes e bem vestidas e dão vida ao verdadeiro cliché de que todas as francesas são uma Coco Channel em potência o que não é, de todo, uma generalidade. 

 

- Vinho, Champagne e Tabaco: Na série beber vinho, champagne e fumar são descritos como habituais entre os franceses que os vêem como sinónimo de boa vida. 

Se é verdade que beber um copo de vinho faz parte desta cultura e é indissociável de uma boa refeição. No entanto fumar é exatamente igual ao que se passa em Portugal (com as mesmas restrições) e o champagne é guardado para os dias de festa. 

 

- Aparece uma Paris "falsa": Esta têm sido uma das maiores críticas feitas à série pelos franceses que acusam a série de mostrar uma Paris muito romanceada.

Infelizmente, no meu ponto de vista, nos últimos anos Paris têm perdido alguma da sua beleza e os noticiários mostram cada vez maiores problemas na cidade (urinóis públicos, gilets jaunes...).

Eu, quando vejo a Paris da Emily, sinto-me com vontade de morar lá. O que nunca me passaria pela cabeça na Paris "real". 

 

E por aí, fãs da Emily ou nem por isso? 

Um grande beijinho e até ao próximo post :)

Emily-em-Paris.jpg

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

 

 

 

 

10 Coisas de que gosto mais em França do que em Portugal

Aqui há uns tempos atrás já vos tinha trazido as "10 coisas de que gosto mais em Portugal do que em França" e foi um texto que agradou bastante. Hoje, e para fazer justiça ao pais que me acolheu há quase 6 anos, trago-vos as "10 coisas que gosto mais em França do que em Portugal". 

Se não me conhecem ou se descobrem agora este tipo de textos no blog gostaria de vos dizer que o objetivo disto não é, de todo, fazer uma comparação entre paises mas apenas olhar, com algum humor, para diferenças (ou parecenças) marcadas entre os dois. 

Se gostarem destes posts não deixem de comentar, assim como se vocês tiverem alguma experiência internacional ou tal como eu (e mais uma boa quantidade de Portugueses) morem ou tenham morado em França. 

Agora que a mensagem está passada podemos começar as 10 coisas de que gosto mais em França do que em Portugal

Curiosamente foi-me mais difícil escrever esta versão, vá-se lá saber porquê. 

Ora aí vamos nós!

 

- Mercados: Os mercados semanais de fruta e legumes são uma instituição em França.

Não há ninguém, ou são muito poucos, aqueles que não aproveitam uma manhã de fim de semana para fazer as suas compras de fruta, legumes, queijos e por aí fora. E os clientes vão desde jovens a pessoas mais velhas.

Um encanto!

 

- Montras das Pastelarias: A pastelaria francesa e a pastelaria portuguesa são bastante diferentes e igualmente boas mas, no que a apresentação diz respeito, os nossos primos gauleses dão-nos uma "abada". Basta olhar para as montras das pastelarias e as nossas papilas começam a bater palminhas de contentamento. 

As diferenças de preço, mesmo com as diferenças de salário, são muito mais vantajosas para os comilões em Portugal.

 

- Rendez-vous no banco: A cultura do hora marcada para tudo é algo que, às vezes, me chateia por aqui... Para quase tudo é preciso hora marcada e é sempre o consumidor que faz os esforços.

No entanto quando se trata de bancos esta marcação pode ser uma benção. O gestor de conta estará ali e com o trabalhinho pré-feito para responder a todas as tuas questões... Prático, não?!

 

- Horários de trabalho: Ok, sem querer entrar em discussões sobre políticas de emprego, a verdade é que os horários de trabalho em França podem ser bastante vantajosos (claro que depende dos casos). 

 

- Respeito dos Domingos: De uma forma geral por aqui os supermercados ora estão fechados ao Domingo ora estão em horário parcial (de notar que, de uma forma geral a "amplitude horária" é bem mais pequena do que em Portugal, com horários que vão das 8:30 às 21h). Isso, apesar de nem sempre me "dar jeito" enquanto compradora me deixa feliz por saber que os funcionários poderam aproveitar algum tempo em família. 

 

- "Apéro": O Apéro (ou aperitivo) é aquele tempo convivial em que se bebe um copo e se come qualquer coisa antes da refeição.

Pode ser feito antes da refeição quer comamos juntos ou não ou em forma de "lanche-ajantarado". 

Este tempo é bastante comum por aqui e é aproveitado por pessoas de todas as idades e, pessoalmente, acho-o bastante convivial. 

 

- A Montanha: Se em Portugal vos falei da próximidade do Mar aqui tenho de vos falar da próximidade da montanha.

Sejam os Alpes ou os vulcões de Auvergne, em Lyon estamos relativamente próximos de grandes zonas montanhosas.

Se os desportos de Inverno não me tentam nem um pouco admito que as passeatas no verde da montanha e à volta dos lagos são bastante tentadoras. 

 

- Preços e "escolha" em cosméticos: Já se sabe que eu sou a maluquinha dos mil e um cremes.

A verdade é que por aqui os preços são (ligeiramente) mais baixos do que em Portugal e a escolha é um bocadinho maior (mesmo que isso esteja a mudar). 

 

- Percursos de caminhada bem marcados em todo o lado: Os percursos de caminhada são bastante procurados por aqui e, em consequência, numerosos e muito bem marcados. 

Ainda para mais, ao chegares a um sítio novo, conseguirás facilmente uma carta seja online, seja através de aplicações específicas para telémovel ou em sites internet. 

 

- Escolha de queijos: Em Portugal temos muito bons queijos mas, em França, a oferta é muito maior e mais variada. Há literalmente queijos para todos os gostos e feitios e, para uma grande gulosa como eu, isso é uma benção!

 

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

10 Coisas de que gosto mais em Portugal do que em França

As diferenças entre paises podem ser imensas e, mesmo tendo uma raíz comum, há grandes diferenças entre Portugal e França.

Como é óbvio há coisas de que gosto mais de um lado, há coisas de que gosto mais de outro e achei que isso poderia ser engraçado de comentar aqui dando "pano para mangas" no que a posts diz respeito. 

Hoje trago-vos 10 coisas de que gosto mais em Portugal do que em França

Não esqueçam de me deixar o vosso feedback nos comentários e também se gostam deste tipo de conteúdo.

Também gostava de saber se alguma destas coisas vos surpreendeu e se, tal como eu, vivem ou viveram em França qual a vossa percepção de cada um destes pontos. 

'Bora lá!

- Peixe Fresco: Como alguém que dá muito valor à comida o peixe é das coisas que mais tenho saudades!

Em primeiro lugar por aqui o preço do peixe fresco é muito elevado (mesmo tendo em conta os salários mais altos) e depois a qualidade nem sempre está presente. 

 

- "Beber Café": Em França, de uma forma geral, as pessoas não têm o hábito de parar num café antes de ir para o trabalho ou à hora de almoço.

Claro que há quem passe numa esplanada para beber um copo no fim do dia ou mesmo ao fim de semana mas ir ao café "beber um café" é algo muito pouco habitual. Ler o jornal então nem se fala... 

 

- Pão: Apesar de ser o pais da "baguette" a verdade é que o pão na maior parte dos comércios em França (especialmente nas grandes cidades) é bastante fraco.

Em Portugal temos normalmente mais variedade, mais quantidade e com melhor qualidade mesmo nos supermercados mais pequenos. 

 

- Proximidade do Mar: Este ponto aqui não é exatamente igual para todas as pessoas que vivem em Portugal pois depende da zona do pais onde se vive mas, de uma forma geral, todos os portugueses podem ver o Mar com bastante frequência. Por aqui a distância pode ser superior a 7h de carro... 

 

- Simplicidade Portuguesa: O Português é, por norma, mais "simples" na sua forma de estar e por isso torna-se extremamente doce.

Às vezes chega a cair no extremo de achar que tudo aquilo que se faz em Portugal não presta ou que o pais só tem coisas más (ou em todo o caso piores do que os outros paises).

Já os franceses são muito mais "seguros de si mesmos". E todos, desde a comunicação social à publicidade passa a imagem de que a França está à frente do resto da Europa em tudo, o que nem sempre é verdade.

Por exemplo a nível da gestão do COVID 19 foi dado muito mais foco aos números dos outros paises e muito menos aos números em França que, portanto, foram enormes!

 

- Filmes em Versão Original: Por aqui tudo o que passa na televisão é dobrado em francês e, na maioria das sessões de cinema, os filmes também.

E não é incomum estares dentro da sala quando te apercebes que te enganaste na sessão que querias ver e que o Brad Pitt vai ter voz de tudo menos de Brad Pitt

 

- Caixas multibanco: Em Portugal é normal encontrarmos caixas multibanco em tudo quanto é sítio. Ainda para mais podemos fazer fazer pagamentos, transferências, etc.

Em França as caixas multibanco são pouco comuns e as suas funções limitam-se a fazer levantamentos (excepto em algumas caixas internas aos bancos que têm mais opções mas muito menos do que as nossas). 

 

- Relações Familiares: Este ponto não está escrito na pedra mas é uma realidade (inclusive comentada por alguns amigos franceses) que a relação de família em Portugal é mais forte do que em França.

Talvez devido às distâncias entre as diferentes regiões ou ao facto de os filhos serem independentes mais cedo mas estas diferenças podem ser mesmo muito flagrantes com filhos que apenas vêem os pais no Natal e que apresentam o companheiro aos pais na véspera do casamento.

E sinceramente prefiro a união familiar portuguesa apesar das suas desvantagens.  

 

- Serviços de Entregas: Todos os estrangeiros que vivem em França se queixam da mesma coisa.

Enquanto em Portugal, quando nos entregam algo em casa se alinham pelos nossos horários em França é a empresa que decide qual é o horário e a ti de te organizares para estar em casa (nem que para isso tenhas de faltar ao trabalho). 

Ainda para mais os "atrasos" e as "perdas" das entregas são relativamente mais bem tolerados do que em Portugal. 

 

- Expressividade: Em Portugal somos, de uma forma geral, muito mais expressivos. Rimos por tudo e por nada e choramos também por qualquer coisa. É o nosso lado mediterrânico.

Em França as pessoas são mais fechadas e estão menos habituadas a demonstrar os seus sentimentos. E sinceramente às vezes tenho muitas saudades de rir a bandeiras despregadas como o fazemos em Portugal. 

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

O Natal... à francesa!

Caixinha n.º 10 do Calendário do Advento da Nala

Cheguei a França há 5 anos, no final do mês de Novembro, por isso deparei-me logo com as diferenças que existem entre o Natal Francês e o Natal Português. 

É de notar que, pelo facto de virmos da mesma cultura judaíco-cristã faz com que as árvores de Natal e os presépios façam parte da decoração de Natal das famílias.

Existem, no entanto, muitas famílias que preferem trocar o aconchego do lar por uma férias na Neve, especialmente nos Alpes e nos Pirinéus, de forma a aproveitar a neve e a possibilidade de praticar desportos de Inverno. 

De uma forma mais tradicional a Noite de Natal em França é festejada em família e têm o nome de "Reveillon de Noel".

Os pratos típicos desta época são o "Foie Gras", o salmão fumado e as "Coquilles Saint-Jacques" (as nossas "vieiras"). As ostras são também rainhas nestes dias de festa e os "escargots". Tudo isto em entrada e acompanhado de champanhe, a bebida tradicional de festa.

Nos Natais mais tradicionais é o Perú com Castanhas o prato principal, mas pode ser facilmente substituido por outra carne branca, como o famoso frango "de Brest". 

A sobremesa principal são os "Troncos de Natal" que podem ser de todas as cores e sabores, em versão bolo ou gelado. Outras pequenas doçarias enriquecem a mesa de Natal tal como as "Orangettes" (laranja confitada e coberta de chocolate), frutos secos, "pain d'épices" e chocolates de todas as formas. 

Tal como nós, os franceses (pelo menos os mais tradicionais) dão muito valor aos momentos passados à volta da mesa e trocam presentes entre si. No caso deles fazem-nos essencialmente de manhã antes do "brunch" ou do almoço em família. 

Espero ter assim partilhado convosco algumas das tradições francesas de Natal. 

 

 

Colmar - Um dos Mercados de Natal mais bonitos da Europa

Caixa n.º 4 do Calendário do Advento da Nala

Como amante da época de Natal que sou tinha, desde sempre, o desejo de ir a um grande Mercado de Natal europeu.

E a oportunidade surgiu o ano passado onde tive a oportunidade de aproveitar 4 dias maravilhosos na pequenina cidade de Colmar, na Alsácia- França, onde é feito um dos mais bonitos Mercados de Natal da Europa. 

Para começar tenho de dizer que a pequena cidade é muito pitoresca: com as casinhas típicas daquela região de França e vários canais de água que lhe conferem um ar de contos de fadas. O ambiente é frio mas, sinceramente, acho que isso só nos mete ainda mais no ambiente natalício. 

Este mercado de Natal divide-se em 4 mercados diferentes, espalhados pela cidade. Um especialmente dedicado à gastronomia, outro mais dedicado ao artesanato, um especialmente dedicado aos mais pequenos e o quarto dedicado às decorações de Natal. 

Apesar de a cidade ser pequenina e se poder visitar rapidamente vale a pena aproveitar para ver e rever os comerciantes e descobrir, a cada passagem, coisas mais bonitas. 

Se, com este post vos fiz sonhar, e se têm a possibilidade de vir até este cantinho do céu aproveitar a época natalícia deixo-vos aqui algumas sugestões: 

- Para comer/beber: O Prato típico alsaciano por excelência é a choucrute (uma espécie de couve fermentada) que é normalmente acompanhada por salsichas, bacon e diferentes tipos de enchidos. É de comer e chorar por mais, diz ele.

O foie gras foi também desenvolvido na Alsácia sendo, portanto um excelente sítio para o provar. 

Para uma opção mais fast-food as tartes flambées ou Flammekueche são a opção perfeita. 

Outros pratos típicos são: o baeckeoffe, um tipo de ensopado alsaciano, os spaetzle, uma massa rústica preparada com farinha, creme de leite e ovos, além do Munster fermier típico da região, que é um queijo muito mal cheiroso mas absolutamente delicioso. 

Para os apreciadores de vinho branco o Gewurztraminer e o Reisling alsaciano são opções perfeitas. Para os que gostam de bebidas mais açucaradas encontrarão facilmente vinho quente, sidra ou sumo de maçã quente em todos os mercados de natal. 

Em doçaria podemos render-nos ao pain d'épices e ao Kouglof (brioche com uvas e passas). Também os bolos típicos de Natal da Alsácia são deliciosos e, sobretudo, um excelente souvenir. 

- Para dormir: Como estes dias funcionavam um bocadinho como "Lua-de-Mel" antecipada escolhemos uma "Chambres d'Hôtes" que dá pelo nome de Villa Élyanne.

Com uma localização perfeita pertinho da estação de comboios e do centro da cidade este espaço cheio de histórias marcou-nos de forma muito especial.

É um palacete absolutamente deslumbrante e com uma história fantástica antes e depois da restauração, a dona da casa é super amável e o pequeno almoço foi dos melhores que já comi. 

Espero com este post, e com as imagens que se seguem, vos aguçar o apetite para umas mini-férias em terras francesas. 

DSC_1068.JPG

Ruas de Colmar

DSC_1069.JPG

Casas decoradas

DSC_1071.JPG

Monumentos decorados

DSC_1074.JPG

Casas típicas da região

DSC_1078.JPG

Decorações de Natal

DSC_1104.JPG

A famosa "Choucrute"

Todas as imagens são da minha autoria, no entanto nunca pensei usá-las na criação de um post. Peço desculpa por alguma falta de qualidade que possam encontrar. 

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub