Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas da Cidade dos Leões

Um blog que adora partilhar dicas e reflexões sobre lifestyle, descobertas e organização. Sejam Bem Vindos!

Crónicas da Cidade dos Leões

Um blog que adora partilhar dicas e reflexões sobre lifestyle, descobertas e organização. Sejam Bem Vindos!

Dar um ar novo a roupas usadas em três tópicos

Muitas vezes guardamos roupa no armário e ela acaba por amarelecer, outras vezes compramos roupa em segunda mão (ou passam-nos roupa em segunda mão) e ainda mais comum passam-se roupa de crianças entre irmãos ou entre amigos e pretendemos que ela fique com um aspeto mais "limpo" e "novo" por muito que ela já não seja novinha "a estrear". 

Uma das coisas mais importantes quando se fala de roupa (e que pretendemos que ela dure) é de escolher roupa de qualidade e seguir as devidas instruções de lavagem

Para vos ajudar a tratar da roupa em segunda mão, numa altura em que a minha casa parece a "Aldeia da Roupa Branca" trago-vos algumas dicas para que as vossas peças usadas pareçam mais "novas". 

 

- Usa e Abusa do Bicarbonato de Sódio:

Cá em casa é a minha astúcia número 1 no que diz respeito a roupas claras.

Uma boa dose de bicarbonato, um bom bocado "de molho" e lavar em seguida com o nosso detergente normal e mais uma colher de sobremesa de bicarbonato fazem milagres pela roupa, tira as nódoas amarelas da conservação, não danifica as fibras e ainda é ecológico e barato.

O que pedir mais?

 

- Fazer pequenos arranjos: 

Não é porque uma roupa é de "segunda mão" que tem de se ver ao longe.

Todos nós temos em casa um pequeno estojo de costura que podemos usar para fazer pequenos arranjos (pregar um botão, dar um pontinho numa bainha e por aí fora).

Caso a peça precise de mais arranjos e o teu jeito é parecido com o meu, ou seja inexistente, podes sempre levá-lo a uma costureira ou pedir a alguém que te faça esse favor (não te esqueças é de agradecer convenientemente à pessoa e sobretudo de não abusar); 

 

- Vinagre Branco para roupa desbotada: 

Em caso de as peças estarem um bocadinho desbotadas podemos sempre tentar utilizar vinagre branco e água numa proporção de 50:50. Depois disso é só lavar na máquina. O vinagre branco remove as nódoas, ajuda a dar vida às cores e ainda as protege. 

E não se preocupem que o cheiro desaparece (isto dito por alguém que detesta o cheiro do vinagre).

 

E por aí, quais as vossas dicas para recuperar roupas antigas? Eu deste lado sou "toda ouvidos" no que toca a este tema... 

Um grande beijinho e até ao próximo post!

janine-meuche-AtalICfdAas-unsplash.jpg

Photo by Janine Meuche on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

10 Dicas para Economizar Energia

Acho piada a todos os assuntos relacionados com organização e a eficiência é, em minha opinião, uma consequência importante dela. Quando o assunto então é eficiência energética temos a certeza de uma economia está garantida. 

E sejamos honestos, com as incertezas atuais, todos ficamos contentes com umas poupanças aqui e acolá.

Por isso hoje separei-vos 10 dicas de pequenos gestos que nós fazemos em casa para poupar recursos sejam eles elétricos ou gás. 

 

Preparados?

economizar energia.jpg

Photo by Hannah Busing on Unsplash

 

- Acabar a cozedura em calor residual:

Quando a nossa comida já está quase pronta desligamos a fonte de calor e deixamos acabar tranquilamente a cozedura enquanto pomos a mesa ou começamos a despachar a louça. 

Esta dica é válida para pratos no forno (como uma quiche, por exemplo) ou de fogão (como o arroz). Uma coisinha muito pequena mas que pode ajudar a aproveitar o calor até ao fim (aquele calor que se desligássemos no tempo "devido" acabaria por se dissipar sozinho, sem reutilização); 

 

- A amiga chaleira elétrica:

Quando precisamos de aquecer água para cozinhar optamos por fazê-lo na chaleira elétrica. Este aparelho, que quase toda a gente tem em casa e que pouca utilidade lhe dá, aquece a quantidade de água que precisamos num instante e de forma mais eficiente do que a boa e velha panela. 

Quando a água já está a ferver então aí passamos para a panela e poupamos algum tempo (e gás) para aquecer a água e começar a cozinhar;

 

- Maximizar a utilização do forno:

Aquecer o forno é demorado e pode significar um grande consumo de energia.

Cá em casa temos o hábito de maximizar a sua utilização cozinhando o maior número de coisas possíveis ao mesmo tempo. Para isso precisamos de alguma organização e de prever um bocadinho o que vamos fazer mas acaba por um hábito rapidamente integrado; 

 

- Aproveitar o aquecimento da casa de banho:

Quando aquecemos a casa de banho para os banhos tentamos sempre utilizá-la um a seguir ao outro.

Exige alguma organização mas poupa-se energia no ligar e desligar o aquecimento e na manutenção por um período mais longo do calor na casa de banho!

 

- Ter em atenção o desperdício:

Luzes acesas sem necessidade, carregadores nas tomadas e baterias a recarregar eternamente dão origem a pequenos gastos de energia desnecessários. E desperdício não é bom de forma nenhuma;

 

- Usar extensões com sistema on-off:

Usar extensões com sistema on/off, nomeadamente na televisão, nos computadores e por aí fora, pode ser uma excelente maneira de não deixar os aparelhos em stand-by o dia inteiro. É mais prático do que desligar aparelho por aparelho da tomada e assim não temos a desculpa de estarmos cansados;

 

- Manter as temperaturas dentro de casa:

Fechar os estores e as janelas em dias de muito calor ou então quando começa a anoitecer e está frio é uma boa ajuda para manter a temperatura de casa mais regulada evitando assim o recurso a aparelhos que o façam por nós;

 

- Cuidar dos aparelhos elétricos:

Se tivermos cuidado com os nossos aparelhos elétricos teremos a certeza que eles nos duram no tempo e que se mantém razoáveis nos consumos. Por exemplo uma arca frigorífica que não isola suficientemente bem não é boa nem para a nossa carteira nem para a comida que lá está dentro. 

Em caso de precisarmos mesmo de trocar o aparelho melhor investir num com melhor desempenho energético; 

 

- Será que tenho mesmo necessidade disto?

Quantas vezes mantemos aparelhos elétricos ligados que, na realidade, nos servem de pouco como é o caso da arca de congelação quando vamos frequentemente ao supermercado e não precisamos de acumular tanto quanto isso? Ou será que tenho mesmo de usar aquela blusa quando tenho o armário cheio de outras que me evitaram de ligar o ferro? 

Quando nos habituamos a colocar esta pergunta a nós mesmos deixamos de fazer as coisas por impulso (e porque estão disponíveis) e a fazer pequenas economias aqui e ali. E não será só de dinheiro mas também de tempo! 

 

- Adaptar a iluminação da casa às necessidades:

Cá em casa apreciamos acabar o dia a média luz (falei-vos disso na rotina de final de dia) mas esta também é uma boa forma de economizar uns tostões na fatura da eletricidade. Se não temos necessidade de ter todas as lâmpadas ligadas para que as haveremos de ter?! 

 

Espero que estas dicas vos tenham agradado e que, quem sabe, vos deixem com algumas ideias. Pessoalmente estou com curiosidade de ler as vossas ideias em comentário e aprender mais alguma coisa. 

Pela mesma ocasião não deixem de dar a vossa opinião sobre este tipo de post.

Para mim vejo estas pequenas economias como um jogo que, apesar de não estar diretamente relacionado com a temática principal do blog, faz também parte das minhas tentativas de levar uma vida menos complicada (e com dinheiro disponível para coisas que realmente me dão prazer). 

Um grande beijinho e até ao próximo post!

The best health Apps.jpg

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

 

Organização da Roupa: Como escolher antes de comprar

Aí as roupas... Quem nunca chegou a um armário cheio e se viu sem rigorosamente nada para vestir?

Cá em casa, por razões económicas, ecológicas e sobretudo porque nos faz sentido, somos bastante cuidadosos na nossa roupa que, de uma forma geral, nos dura bastante tempo. (Ok, às vezes dura tempo a mais porque temos pena de nos desfazer mas quem nunca, não é?)

Uma das coisas mais importantes para a roupa durar mais tempo é o bom cuidado que lhe devemos dedicar e sobre isso já vos fiz um post anteriormente

No entanto é impossível fazer durar roupa que já é de má qualidade.

Por isso hoje trago-vos algumas dicas que eu tento colocar em prática antes de comprar roupa de forma a que as peças me durem mais tempo e que eu me sinta super bem com elas. 

Apesar de serem dicas básicas e bastante faladas em todos os blogs, canais de youtube ou artigos de revista quer especializadas em moda, quer em lifestyle ou organização tenho a impressão que a grande maioria das pessoas as desconhecem ou não lhes prestam a devida atenção. 

Preparados?

 

- Privilegiar a qualidade à quantidade:

Procuro comprar sempre peças de maior qualidade, com tecidos mais nobres e cujos acabamentos sejam mais perfeitos mesmo que isso implique um investimento maior. Para compensar esse possível gasto inicial compro muito menos em quantidade.

Mas atenção que dinheiro nem sempre é sinónimo de qualidade de roupa pelo que não se deixem ir sempre na cantiga das "marcas" porque pode não ser a melhor opção! 

 

- Examinar a Roupa com Tempo:

Um dos nossos maiores erros na hora de comprar roupa é a precipitação. 

É importante verificar bem a roupa que compramos: os seus acabamentos, possíveis imperfeições ou forma de cair no corpo para termos a certeza de que aquela peça é rentável. Por isso aconselho-vos a não comprar roupa nem numa hora muito concorrida nem durante uma hora de almoço em que o tempo escasso. 

Este ainda é um dos meus principais problemas mas que melhora pouco a pouco 

 

- Saí uma lista:

Ora eu, como mulher das listas, tenho uma lista das peças que me faltam ou daquelas que tem de ser substituídas. Assim sei o que me faz falta, quando me faz falta e não corro o risco de repetir compras.  

Outra vantagem de fazer uma lista é que, em caso de dúvida para presentes de aniversário ou de Natal, os vossos companheiros/as podem facilmente encontrar uma ideia que será seguramente um sucesso. 

 

- Comprar peças simples ou que combinem com o que já tem:

Não há nada de mal em comprar peças mais trabalhadas desde que conheçamos o nosso guarda roupa mas, a verdade, é que um dos nossos maiores erros é comprar coisas que depois não combinam com absolutamente nada. 

Uma camisola, uma mala ou o que quer que seja só é rentabilizada se tivermos com a qual a meter em valor. Por isso não compres por impulso mas adapta aquilo que compras ao que já possuis, ao teu estilo e às tuas reais necessidades. 

Um bom método para aplicar esta dica é a constituição de um armário cápsula, que eu não faço, mas que a Patricia Costa já nos apresentou tão bem! 

 

- Arrumar o armário:

Não, não estou confusa apesar de este tópico parecer estar aqui a mais. 

A verdade é que precisamos de conhecer o nosso armário para podermos usufruir dele.

Por isso elimina as peças que já não te servem ou que pura e simplesmente já não te correspondem assim como as que estão estragadas e são irreparáveis. Só com um armário limpo é que podemos colocar em prática as dicas anteriores. 

 

Espero que este post vos tenha agradado. Não deixem de partilhar comigo as vossas próprias práticas no que toca a conservar e a comprar roupas. A nossa carteira e o meio ambiente agradecem! :)

Um grande beijinho e até ao próximo post! 

alyssa-strohmann-TS--uNw-JqE-unsplash.jpgPhoto by Alyssa Strohmann on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

 

Organização: Marmitas

5 dicas para se simplificar a vida

Com o final do mês de Agosto chega o regresso ao trabalho e com ele a volta das tão famosas (e com cada vez mais adeptos) marmitas. 

Cá por casa somos grandes fãs de marmitas e nem me consigo lembrar da última vez em que comprei uma sanduiche rápida no bar do hospital. 

Optar por marmita em vez de "comer fora" é mais económico mas também é mais adaptado àquilo que gostamos e que queremos consumir. 

Hoje deixo-vos 5 dicas que colocamos em prática cá em casa e que não implica passar o Domingo na cozinha. Preparados?

- Refeições congeladas: Já vos falei das refeições congeladas no post sobre a cozinha sem desperdício e, mais uma vez aqui estão elas. Aqui em casa temos essencialmente duas formas de congelação: ou o fazemos em doses individuais ou optamos por fazer uma porção que dê para duas refeições. Naquele dia em que não fazemos jantar só temos de pensar em pôr a descongelar de véspera e já está. 

 

- Cozinhar "um bocadinho a mais": Uma outra forma de manter o hábito das marmitas é, naqueles dias em que se cozinha, fazer um "um bocadinho a mais" para sobrar para uma ou duas vezes. Assim rentabilizamos os dias em que temos disponibilidade para cozinhar e ficamos precavidos. 

 

- Preparar a refeição com antecedência: Cá por casa, quando sabemos de antemão que tal dia não poderemos cozinhar preparamos com antecedência a refeição. Por hábito, quando a cozinha é minha, faço o mesmo no Domingo para Segunda-Feira à noite e Terça ao almoço. 

 

- Ter sempre o necessário para uma refeição rápida: Quando o tempo (ou a vontade) é escassa e as opções de refeições são poucas podemos sempre optar por uma refeição rápida. Ter do que fazer uma salada, uma omelete ou um paté é sempre uma boa opção e está pronto em cinco minutos. 

 

- Optar por refeições simples: Simplificar as receitas mas optar por produtos de boa qualidade e de época são sempre apostas seguras para nos mantermos motivados a comer a nossa própria comida. Deixa os pratos pesados e complicados (que normalmente são também os mais difíceis de comer) para os fins de semana e opta por coisas rápidas, ligeiras e saborosas para o dia a dia. Mais tarde agradecerás por isso!

 

E por aí fãs de marmitas ou nem por isso? Quais são os vossos segredos para se manterem motivados?

Beijinhos e até ao próximo post! 

marmitas.jpgPhoto by Caroline Attwood on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

 

Organização da Roupa: Como fazer a roupa durar mais tempo

É ponto assente que cá em casa somos um bocadinho para o "sovina" no que a roupa diz respeito. 

E uma boa parte dessa "avarice" vêm essencialmente do facto de termos muito cuidado com as nossas peças de roupa e que, em consequência disso, ela dura muito tempo. E são algumas dicas para que a vossa roupa dure mais tempo que vos trago hoje.

'Bora lá:

 

- Respeitar as regras de lavagem:

Não é preciso ler uma etiqueta de uma ponta à outra mas é extremamente necessário respeitar os tecidos e as regras de lavagem (a temperatura máxima de lavagem, a possibilidade de passar a ferro ou não...); 

 

- Escolher o bom suporte para arrumar a roupa:

Até há bem pouco tempo atrás tinha tendência a pendurar algumas peças de malha em cabides. Esse é um erro enorme pois os fios começam a perder tensão e a malha dura menos tempo.

Por isso optem por colocar os vossos casacos tipo cardigan ou as vossas camisolas de malha dobradinhas dentro de gavetas ou em prateleiras e guardem os cabides para outras peças que possam ficar suspensas sem que a gravidade e o seu próprio peso lhe sejam prejudiciais;

 

- Não misturar cores:

Sabemos que quando a preguiça aperta e a roupa para lavar não é muita despachamos tudo numa só máquina mas não respeitar as cores, misturando cores claras com escuras, pode mesmo estragar a peça... e quem gosta de ver um branco amarelado ou avermelhado?

 

- Evitar muita exposição solar:

Depois da roupa lavada, corremos a colocá-la ao Sol para que fique seca depressa. No entanto a exposição solar pode ser bastante nefasta para as cores das roupas (especialmente as escuras) por isso prefere as sombras ou as horas em que o Sol têm menor intensidade;

 

- Deixar as peças respirar:

Existem tecidos, especialmente os mais nobres como linho, seda ou couro, que precisam de respirar.

Por isso evita deixá-los fechados em sacos de plástico (como os das lavandarias) e de preferência coloca-os ao ar de vez em quando. 

 

- Abrir os armários:

A humidade também estraga a roupa por isso não te esqueças de abrir frequentemente o teu armário e colocar as tuas roupas ao ar para que elas possam secar e respirar especialmente se viveres numa região muito húmida. 

Ninguém gosta de cheirar a mofo e ainda menos perder a sua blusa preferida para as nódoas de humidade. 

 

- Adaptar a utilização das peças:

Não adaptar a nossa roupa à ocasião pode deixar-nos pouco à vontade e ainda pode danificá-la. Por isso deves escolher as peças não só em função do que tens vontade de vestir mas também em função do local onde vais ou do que vais fazer.

Assim como não faz sentido levarmos sapatos "agulha" para um jardim (quem nunca estragou uns escarpins lindíssimos no cocktail de um casamento que se acuse?) não faz sentido levarmos um vestido de linho branco para um churrasco em família onde está o teu sobrinho que passa o dia agarrado às tuas "saias"... 

 

- Cuidar as peças sensíveis:

Todos temos aquela blusa muito sensível em caxemira ou um top em seda que amamos de paixão (e que esperamos que valham o preço e durem uma vida inteira) por isso, e em caso de dúvida na hora da lavagem, melhor lavá-las à mão e com um detergente adaptado do que estragá-las na máquina de lavar.

Pessoalmente, e caso seja um vestido de cocktail ou uma peça para uma ocasião mais especial, levo-as à lavandaria. Senão. e caso tenha preguiça ou seja mais do que uma peça, lavo na máquina mas num programa especial para roupa sensível

 

- Respeitar a limpeza a seco:

Casacos de Inverno são normalmente passiveis de ser limpos a seco.

Por isso façam o favor de respeitar essa recomendação. Pode sair mais caro mas a peça será facilmente rentabilizada caso o façam. Senão o resultado pode ser desastroso (já testei, por isso sei do que falo)! 

 

- Comprar de forma inteligente:

É impossível fazer durar uma peça se a sua qualidade no momento da compra já não for grande coisa.

Claro que não precisamos de comprar tudo de muito boa qualidade mas podemos fazer atenção aos tecidos e aos acabamentos na hora da compra. 

Existe roupa de excelente qualidade mesmo em lojas de fast-fashion e vale a pena passar em duas ou três marcas diferentes e comparar.

Mesmo que custe alguns euros a mais uma peça de melhor qualidade é sempre melhor rentabilizada. 

 

E foram estas as minhas dicas para que a roupa dure mais tempo (e acreditem que tenho peças com 8 ou 9 anos, na maioria de fast-fashion, e que estão em muito bom estado).

E por aí, quais são as vossas dicas no que a cuidados de roupa dizem respeito?

tratar da roupa.jpg

Photo by Annie Spratt on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

 

Organização da Cozinha: Como cozinhar sempre, sem desperdiçar nada

Um destes dias uma colega de trabalho perguntava-me como me organizava para levar sempre comida para o trabalho, nunca indo ao refeitório do pessoal ou comer uma sandes no bar do hospital.

Essa pergunta fez-me pensar pois, se é verdade que cá em casa é algo natural, nem sempre é fácil gerir uma cozinha sem pecar por excesso nem por defeito. No entanto, e como sabemos, tempo é dinheiro e desperdício alimentar é a evitar ao máximo. 

Aqui ficam as nossas dicas: 

 

- Lista de Compras:

É bem sabido por todos aqueles que seguem este blog há já algum tempo que eu sou a mulher das listas. Por isso uma lista de compras não pode faltar nunca cá em casa. 

Começámos a realizá-la inicialmente com recurso ao Google Keep mas, desde o início do confinamento e para não andarmos com o telefone na mão no supermercado, passámos à lista em papel o que nos corresponde ainda melhor. 

Pessoalmente utilizamos post-it, que deixamos à mão e sempre acompanhado de uma caneta, e anotamos imediatamente tudo aquilo que acábamos. Fazemo-lo imediatamente e para que não hajam falhas. 

Pode parecer difícil mas é apenas um hábito a adquirir.

 

- Alimentos não perecíveis de avanço: 

Não gostamos de fazer stocks muito grandes em casa. Em primeiro lugar porque nos falta espaço e em segundo lugar porque simplesmente achamos que não vale a pena. 

No entanto abrimos uma pequena excepção para produtos não perecíveis como a massa, o arroz e a farinha, os quais temos sempre um pacote de avanço. Para um melhor controlo em relação à lista de compras, escrevemos mal deitamos a embalagem usada no lixo e antes de abrirmos a nova. 

 

- Consumir alimentos mais frágeis primeiro: 

Um outro hábito que temos cá em casa é consumir em primeiro lugar os alimentos que se estragam mais facilmente como, por exemplo, os morangos. Assim de certeza absoluta eles não se estragam e não mandaremos nenhum para o lixo.

Comprar apenas as quantidades necessárias e guardá-las convenientemente são também necessários para evitar o desperdício. 

 

- Refeições pré-preparadas de avanço: 

Por norma tudo o que é massa para quiches é feita em casa. O que fazemos normalmente é que, e por serem preparações que dão trabalho e sujam bastante, quando as fazemos, fazemos uma boa quantidade que dividimos e congelamos. 

Se tivermos oportunidade preparamos rissóis, panados e coisas do género que sejam fáceis de cozinhar de avanço e colocamos no congelador. 

Também guardamos sobras de frango assado que desfiamos e outras pequenas quantidades de ingredientes no congelador. Assim se quisermos fazer, por exemplo, uma quiche é só preparar a massa, juntar o que temos com um ovo, natas e queijo e levar ao forno. Fácil não?

 

- Refeições prontas congeladas: 

Por norma é ao fim de semana que cozinhamos mais. O que fazemos a maior parte das vezes, e sempre que a congelação seja possível, é cozinhar duas porções para cada um e mais outro tanto para congelar. 

Pratos como lasanha, bacalhau com natas ou cakes salgados são excelentes opções de pratos que suportam a congelação.

Nos nossos hábitos sempre que uma refeição congelada saí é sempre reposta na mesma semana. E assim nunca nos falta comida, mesmo quando a preguiça ou a falta de tempo apertam. 

 

- Facilitar-se a vida: 

Ao fim de semana passamos mais tempo na cozinha mas, durante a semana, nem sempre temos tempo ou vontade.

Por isso temos mais ou menos umas 15 receitas que vamos fazendo, alternando e adaptando aos ingredientes que temos em casa e aos legumes de época. Assim poupamos tempo, dinheiro e investimos na nossa saúde. 

Uma boa opção é ter sempre sopa ou saladas devidamente lavadas e acondicionadas. Elas serão excelentes opções para completar o jantar e consumir as doses recomendadas de frutas e legumes

 

E por aí, quais são as vossas dicas para se facilitar a vida na cozinha, sem desperdício nem falta de ingredientes? 

Espero que este tipo de posts sobre organização de tempo e da casa sejam também do vosso agrado. 

Um grande beijinho e até ao próximo post!

organização cozinha.jpgPhoto by Jason Briscoe on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub