Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas da Cidade dos Leões

Um blog que adora partilhar dicas e reflexões sobre lifestyle, descobertas e organização. Sejam Bem Vindos!

Crónicas da Cidade dos Leões

Um blog que adora partilhar dicas e reflexões sobre lifestyle, descobertas e organização. Sejam Bem Vindos!

"Caixa do Pai"

Presente de Nascimento para o recém-papá

Este post já tinha sido prometido em Maio, via instagram, mas confesso que procrastinei um bocado e só agora o consegui fazer... 

A Caixa do Pai, que traduzi do francês "Boîte à Papa", consiste numa "box" com alguns presentes para o pai. Apesar de inicialmente não ter achado piada à ideia... a verdade é que estou contente por ter tido a oportunidade de mimar o meu marido e sei que ele também apreciou muito a atenção.

Para criar a minha "box" aproveitei uma caixa de uma encomenda e decorei-a. Para os presentes optei por coisas simples e pequenas, mas as opções são inúmeras, depende da imaginação e do budget de cada um. 

186094582_754824615202583_8467471400301016339_n.jp

Num cartão escrevi as regras da caixa e cada presente continha a sua própria etiqueta com uma piada ou a razão de ter colocado aquilo por lá. Aproveitei para escrever um postal com algumas coisas que lhe queria dizer antes da aventura começar.

Tinha-o prevenido alguns dias antes que tinha uma pequena surpresa para quando o nosso filho nascesse e disse-lhe onde estava escondida quando ele foi para casa, na noite em que o bebé nasceu.

185897224_339499257596313_67854054225637936_n.jpg

Como presentes optei por coisas simples que lhe possam ser úteis no papel de Pai. Um livro de histórias, um manual do bebé, um porta-chaves e algumas guloseimas. Estas últimas foram particularmente apreciadas :)

185725786_201353345011808_750121116361883619_n.jpg

 

186476357_917900322381950_4749317873023419988_n.jp

 

185771312_568600810768952_6256143102258388815_n.jp

 

185800428_284803409984676_8428395969942166285_n.jp

 

185814393_314934886875309_6000886581796843015_n.jp

Outras opções a colocar na caixa podem ser moedas para a máquina de café do hospital (eu fiz isso mas tinha-a dentro da mala da maternidade), raspadinhas com os signos dos pais e do bebé, diplomas ou pequenas ajudas como paracetamol (para as dores de cabeça) ou uma mola da roupa para os cocós mal cheirosos. A cada um de usar a imaginação e levar a coisa para um lado mais sério ou mais de brincadeira. 

E aqui vos deixo esta pequena ideia para mimarem os futuros papás. Afinal com o nascimento de um filho também há um pai que nasce e merece algum mimo, assim como a mãe e o bebé.

E por aí gostaram da ideia? 

Um grande beijinho e até ao próximo post :)

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

 

 

 

Carta ao futuro bebé

A nossa história começou em 2016, no primeiro jogo de Portugal no Europeu. Nada mau como começo para dois portugueses que vivem no estrangeiro e que se encontraram completamente por acaso. 

Tivemos o nosso tempo de conhecimento, tempo onde aprendemos a compreender e a encontrar o nosso lugar junto do outro.

Em 2018 acabamos por decidir morar juntos... hesitámos um bocado porque não sabíamos no que ia dar. Já tínhamos tantos vícios bem interiorizados depois de anos a viver sozinhos e já se sabe que partilhar o dia a dia não é bem a mesma coisa... 

Afinal, e apesar daquele receio inconfessado, as coisas correram tão bem que decidimos rapidamente que queríamos oficializar a nossa relação.

E assim aconteceu, mesmo no último momento, quando uma pandemia que nos fechou a todos em casa chegou. 

Mais uma vez passamos o teste com relativo brilhantismo. Foi preciso paciência, calma e empatia suficiente para enfrentar esta jornada que já vai longa e que nos afeta quer na nossa vida pessoal quer na nossa vida profissional e que nos deixou ainda mais isolados de tudo e de todos. 

E agora chegou a hora de uma nova aventura. Provavelmente a mais louca e mais difícil das aventuras a que nos propusemos até hoje: a tua chegada! 

Não te podemos dizer que seremos o Pai e a Mãe mais cool do pedaço e ainda menos te podemos prometer que seremos perfeitos ou que vamos estar sempre à altura da situação! Isso seria mentir-te e o amor nunca se pode basear em mentiras nem em promessas que não se podem cumprir.

Sabemos à partida que vamos cometer erros, falhas e que nem sempre te poderemos dar exatamente o que queremos para ti. A única promessa que te podemos fazer neste momento é a que vamos fazer o nosso melhor e isso já não é coisa pouca... 

Por agora ainda aí estás no quentinho da minha barriga e protegido do Mundo mas já és tão mas tão importante! 

E nós esperamos-te cá fora com muita vontade de te conhecer e começar contigo um caminho a três onde vamos aprender juntos, lado a lado. Porque só assim faz sentido! 

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

O Natal é o Nascimento de uma Estrela - O Natal pelos olhos do meu marido

Post n.º 17 do Calendário do Advento da Nala

Já não é a primeira vez que ele "me entra" pelo blog dentro e me escreve um texto. Num ano que foi tão difícil mas que teve tanto significado para nós era indispensável que ele fizesse parte deste Calendário do Advento. Afinal é ele o companheiro que escolhi para me acompanhar nas noites mais frias e escuras assim como nos dias mais ensolarados, quando os dias se alongam e o Sol nos bate na cara sem pedir permissão. 

Muito Obrigado por esta participação e por toda esta reflexão que nos trouxeste!  

 

O Natal é o nascimento de uma estrela nas noites mais frias.

Dia a dia, pouco a pouco, vamos percorrendo o nosso inverno com cada vez menos dia e mais tempo de noite. Inexoravelmente uma cortina de escuro e de frio desce sobre o mundo, custa acordar de manhã e enfrentar a neblina, custa passar o dia a ver o sol descer no horizonte, custa chegar a casa durante a noite e esperar por um amanhecer que está ainda demasiado longe.

E é precisamente aqui, nas noites mais longas, que há a oportunidade de fazer nascer uma estrela.

Afinal as estrelas mais brilhantes necessitam das noites mais escuras para se destacarem mais.

É nesta dicotomia que percorremos Dezembro, nas trevas procurando uma luz. Onde a encontrar, portanto?

Talvez a estrela que precisamos no dia de Natal temos obrigação de a ir acendendo todos os dias, de a intensificarmos com o nosso calor, de iluminarmos as noites com a nossa presença.

Mais do que em nós precisamos de a ver nos outros, naqueles que estão mais próximos, naqueles que mais precisam de luz porque estão imersos naquela escuridão que dura o ano todo.

Acendamos portanto essa luz com palavras e ações, vejamo-la brilhar em cada gesto, em cada bocadinho que partilhamos. Nos átomos pela paz que podemos lançar no universo.

A árvore escura na floresta era uma promessa, metia medo a quem passava, o vento uivava através dela durante a longa noite de inverno. E ainda assim colhemos a árvore, trouxemo-la para o pé de nós onde há vida e colocámos luzes e enfeites de natal.

Vamos então à floresta de novo, enquanto a luz se apaga lentamente nos dias de Dezembro, colher aquilo que nos mete mais medo, para nessa promessa de acender uma luz a possamos ver a brilhar no dia de Natal.

E nas memórias dessa noite prometida, partilhemos com quem amamos a luz, prometendo que mais do que iluminar a noite mais longa, será uma promessa de memória futura e luz para o ano que vem.

aaron-burden-A0AZf4h5ZZI-unsplash.jpg

Photo by Aaron Burden on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

O que ninguém te diz sobre "viver junto"

Nos próximos dias festejaremos os nossos dois anos de vida em comum. É uma data importante e que gostaria de marcar de alguma forma por aqui.

No nosso caso demorámos algum tempo a tomar a decisão de "ir viver junto". Apesar de ver uma boa parte dos meus amigos (especialmente aqueles que estão na casa nos vinte e muitos, trintas) darem este passo em alguns meses não existem alturas certas ou erradas existem, isso sim, casais com tempos diferentes e todos nós (seja a relação mais curta ou mais longa) teremos receios ligados a esta mudança. 

 

Morar com a pessoa de quem gostamos têm tanto de bom e de romântico como de rotineiro e pouco glamoroso. Acordar todos os dias com a mesma pessoa, partilhar contas e dividir espaços é completamente diferente de estar junto durante um período de férias ou um dia ou dois por semana. 

Apesar de ser uma questão a que muita gente é confrontada mais cedo ou mais tarde lê-se muito pouco sobre o assunto (recordo-me apenas de um post do blog "Desabafos da Mula" já com uns anitos) e aqui deixo, também eu, algumas coisas que ninguém te diz sobre "Viver Junto". 

 

- Viver junto implica dividir despesas, partilhar tarefas e todas essas coisinhas chatas do dia a dia. É preciso decidir quem paga o quê, criar uma conta comum ou não, decidir como se partilham as tarefas domésticas. E é uma discussão chata de se ter mas, acreditem, extremamente necessária quer para não passarem necessidades nem ficarem em "maus lençois" (especialmente se viviam com os vossos pais e nem têm bem a noção do que é preciso pagar e quando) nem um se sentir prejudicado em relação ao outro. 

 

- Morar com o namorado/namorada implica também estar sempre acompanhado, mesmo quando se preferia estar sozinho. Simplesmente porque, partilhando a casa (e o quarto) com outra pessoa, é impossível manter uma privacidade total. E acredita que vais sentir falta desse tempo... 

 

- As discussões vão acontecer e isso por muito que se tenha sido um "casal modelo". E na maioria das vezes os motivos são mesmo os mais idiotas que possas imaginar... 

 

- Quando se vive com a pessoa amada deixamos de fazer tantas coisas "na rua". Jantares fora, ir ao bar da moda ou ao cinema passam a ficar para segundo plano e a rotina vai necessariamente instalar-se

 

- Ceder é das piores coisinhas que nos podem fazer (pelo menos a mim). Acreditamos que temos razão por defeito mas quando se vive com outra pessoa (especialmente quando somos um casal) isso implica necessariamente engolir um sapo por outro (e esperar que o outro faça o mesmo).

 

- Estar junto é também estar lá quando o outro está doente, triste ou desiludido com a vida, por muito que o teu mood possa ser diferente. 

 

- É necessário um período de tempo de transição entre o "meu" o "teu" e o "nosso". Aqui ainda se fala muito da "minha planta", do "teu sofá"... e isso pode ser extremamente irritante mas "faz parte". 

 

- Morar na mesma casa mete-nos, quer se queira quer não, numa situação em que as obrigações familiares de um passam a ser também nossas e vice-versa. Por isso prepara-te para os almoços de Domingo e os jantares da tia dele de quem nem gostas muito. Entre aquele convite de casamento que querias evitar ou a eterna questão do Natal de um lado ou de outro...

 

Apesar de todos estes pontos que pretendem apenas demonstrar que viver junto não é sempre "um mar de rosas", a verdade é que pode ter um sabor muito especial desde que haja amor, paciência, respeito, compreensão e espaço para o "nós" mas também para o "eu" dentro da relação. E nunca se esquecer que a "chama" tende a apagar-se depressa e que é preciso reacendê-la e alimentá-la com frequência.  

 

E do vosso lado: quem está a pensar dar o salto e ir viver com o namorado/namorada? E entre os que já vivem juntos quais os pontos que acrescentariam a este post? 

Beijinho e até ao próximo post!

viver junto.jpg

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

 

Parabéns a você!

Hoje é o aniversário dele. Já é o quarto desde que estamos juntos. 

Todos os anos, sem excepção, o bolo de aniversário é feito por mim. Neste bolo de aniversário ponho toda a criatividade, cuidado, esforço e alegria que acredito que uma relação precisa para dar certo. 

Este ano não será diferente. Festejaremos os dois. Num dia que será um misto entre as surpresas que preparei e os desejos que ele expressou. 

Será um dia especial espero eu. Daqueles dias mágicos que só podemos partilhar com aqueles a quem chamamos família. 

Feliz aniversário, marido! 

IMG_20170819_111344.jpg

 

Atividades em Casal

Cá por casa temos gostos muito diferentes: não partilhamos séries, nem livros e nem temos o mesmo gosto por cinema. 

No entanto procuramos sempre encontrar atividades que possam ser feitas a dois de forma a passar algum tempo juntos, divertidos e, se possível, partilhando algo novo.

Somos os dois apaixonados por caminhadas, o que nos dá programa certo todos os fins de semana disponíveis quando os dias são bons, já fizemos aulas de enologia mas a última atividade que fizemos juntos foi "aulas de dança". 

A desculpa perfeita começou quando pensamos na abertura de baile do casamento e decidimos que queriamos dançar a valsa. Se eu dou uns "toquinhos", ele não sabe grande coisa de dança. 

Estas aulas, feitas com um professor particular, bailarino de formação e  que têm uma escola que ajuda noivos a fazer coreografias para aberturas de baile em casamento, foram hilariantes. Rimos até às lágrimas, dançamos até nos doer as pernas e aprendemos a dançar a verdadeira falsa. 

E entre os meus medos pelo fato de ter um vestido volumoso e com cauda, a necessidade dele de contar todos os passos, os bons momentos que partilhamos durante aquelas aulas posso garantir-vos que valeram a pena e que esta será uma das melhores recordações que guardaremos do nosso casamento. 

E aqui vos deixo uma das músicas que fizeram parte da nossa coreografia. Espero que gostem! 

E por aí, também procuram programas a fazer em casal, com amigos ou em família? Quais as vossas ideias mais recentes?

 

 

Crónicas sobre Ele #5

4 anos juntos!

Há quatro anos atrás saímos para ver o primeiro jogo de Portugal no Euro mas nem nos apercebemos do mítico penalty falhado do Quaresma. 

Desde esse jogo que nunca mais nos largámos!

Passámos por coisas boas e menos boas, decidimo-nos a enfrentar a vida juntos e, apesar de algumas dificuldades, temos sabido dar a volta por cima. 

Somos considerados um "casal modelo" pelos amigos mas o nosso segredo não é mais do que "nunca acabar o dia chateados". Falamos sobre tudo e nada, controlamos o tom de voz e assumimos as nossas posições, fazendo cara feia se for preciso e rindo a bandeiras despregadas no fim... 

Desde há quatro anos para cá não têm faltado projetos e sonhos, conquistas e muita teimosia para atingir o que se quer, algumas incertezas e a responsabilidade de estarmos juntos. 

Continuamos a ser amigos, a construir o Mundo à volta de um copo de vinho, a cozinhar como no início, a surpreender o outro sempre que a oportunidade se apresenta. Continuamos a ser "mete nojo" até dizer basta, continuo a adormecer no colo dele e a receber aquele beijinho de boa noite cheio de significado e que sinto ao de leve antes de cair no sono profundo... 

Quatro anos já se passaram e a certeza do "o melhor ainda está para vir" continua presente...

Muitos Parabéns a nós! 

DSC_0495.JPG

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

Cenas de um Casamento

Quando, sem sabermos, vivemos um raio de Sol antes da tempestade!

O nosso casamento foi realizado alguns dias antes deste coronavirus e da doença que lhe está associada serem um tema tão presente (e amedrontador) nas nossas vidas. 

Como disse várias vezes depois "aquele dia foi um raio de Sol antes da tempestade" que se desencadeou depois... 

1.png

Foi um dia muito especial, com a presença dos mais importantes, onde podemos não só oficializar a nossa relação como partilhar momentos de cumplicidade, ternura, carinho e guardar recordações para a vida!  

7.png

A aposta que tinhamos feito num casamento pequeno foi ganha e, modéstia à parte, foi dos casamentos mais divertidos, emotivos e surpreendentes aos quais já fui.

Tudo nos representou bem, do início ao fim, e não houve nervos que nos estragassem o dia! E não o digo por ser a noiva mas pelas palavras dos convidados no final.

2.png

E até o São Pedro ajudou com um dia de Sol maravilhoso!

E são estas recordações boas que nos trazem alento nestes dias complicados e incertos em que vivemos... Como se fossem elas a luz que nos manterá a esperança num futuro em que tudo ficará bem! E é por isso que partilho com vocês as minhas boas memórias apenas agora. 

3.png

Queria deixar aqui uma palavra de apreço a todos aqueles que tinham o seu casamento marcado e que se vêem agora na incerteza do que o futuro reserva... quando projetamos e sonhamos qualquer coisa tão emotiva e um virus aparece e nos altera todos os planos tendemos, com certeza, ao desanimo. 

No entanto confiem: terão o vosso dia de sonho quando tudo isto acabar e será uma comemoração ainda mais especial! Até lá protejam-se o melhor que poderem. 

4.png

Quanto aos outros, deixo-vos aqui o desafio de partilhar connosco nos comentários as melhores memórias do vosso casamento, do batizado dos vossos filhos ou de uma festa onde tenham ido e que vos deixe este sentimento de "luz". 

Acompanhem também as Crónicas da Nala, que não pode ficar em casa, pelas redes sociais (no Instagram e no Facebook). 

Até ao próximo post e... Cuidem-se!

6.png

 

Dias difíceis fazem pessoas melhores!

Situações especiais pedem convidados especiais. E hoje o blogue é dele, que nos fala deste tempo conturbado em que vivemos! Obrigado meu amor!

Agora que os dias se passam fechados em casa, há que descobrir o que se aprende com uma situação nova.

A rotina há um mês atrás era diferente, como diferente era a maneira como olhávamos para a vida… ah e tal, o tempo quente aproxima-se, já começávamos a tirar a roupa fresca cá para fora e a pensar a qual esplanada iríamos tomar o nosso café… agora… bem, agora, parece que para os solitários fazer pirâmides com rolos de papel higiénico é uma hipótese… mas para quem vive a dois?

Líamos à dias que a taxa de divórcio aumentou na china, stress do confinamento oblige… e de facto aqui, a olhar à volta, uma dúzia de livros na prateleira, 3 jogos de tabuleiro, internet e uma televisão que se liga em dias de festa, e os olhos do outro… a indagar… a indagar… o dia tem quantos minutos afinal?

Regressávamos de Portugal de avião, viagem tensa… ‘bora fazer uma lista, e que tal jogar ao jogo do stop? Qual? Àquele que toda a gente conhece, recitas o abecedário baixinho, à palavra stop paras e dizes a letra em que estavas e com essa letra dirás palavras em diferentes categorias. Certo e sabido que a mulher de letras é a Nala e que me ganha sempre de abada, mas pronto, não há como eu para na palavra “D” e a falar de animais me lembrar de dingo, dálmata, dinossauro e dormiga (não conhecem? É o parente sassamelo da formiga)

Casa… desliga a televisão, na internet à 4ª série já é demais, há os 3 jogos de tabuleiro a que podemos tirar o pó. No monopólio ganho eu se os dados ajudarem… o problema é quem fica com o banco, estamos juntos à 4 anos e as negociações mais difíceis são as trocas entre a rua Augusta e uma das estações de caminhos de ferro (sim, porque segredo, segredo, a panca da Nala é entrar no negócio da ferrovia, não há jogadora mais contente em comprar as estações no monopólio).

Em alternativa temos o trivial pursuit… versão 97… se acham que a versão normal é difícil, tentem responder às perguntas de cultura do tempo em que ainda estavam a construir a expo :D

E lá desembocamos aqui… lá me sento eu à frente do pc, a escrever textos como convidado… muito me honra, mas a blogger cá de casa é ela ☺

tranquilo, dias de sol virão, até lá a imaginação vai livre, os textos fluídos, e ainda terminaremos o dia a apanhar sol, a beber refresco e a dizer-vos força, em todos os lares paciência, quer seja a 1 ou a 2, dias difíceis fazem pessoas melhores!

charles-deluvio-NbjjcaoymIo-unsplash.jpg

Photo by Charles Deluvio on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

 

 

 

Noite de Natal combina com Pedido de Casamento!

Caixinha n.º 9 do Calendário do Advento da Nala

Já vos falei milhares de vezes da preparação do meu casamento. O que nunca vos contei foi como "aconteceu o pedido". 

Bem, que sejamos claros numa coisa, não houve joelhos no chão nem jantar romântico à luz das velas. Somos ambos pragmáticos e a decisão de casar já tinha sido tomada há algum tempo.

Posto isto ficaram vocês, tal como eu, convencidos de que não haveriam surpresas quanto a este tema. 

Mas eís que, na noite de Natal do ano passado, Sua Excelência decidiu fazer-me uma surpresa e oferecer-me o anel de noivado (aparentemente utilizou um dos meus anéis para tirar medidas e eu nem dei por nada). 

Na minha opinião ele não podia ter escolhido melhor noite, até porque foi o primeiro Natal que passamos juntos, em nossa casa. E, com a presença dos seus pais, oficializou a coisa num instantinho. E será mais um momento de que seguramente nunca nos esqueceremos e o qual recordaremos com imenso carinho. 

E assim, sem eu me ter apercebido de nada, o Natal tornou-se ainda mais mágico e com mais histórias para contar. 

Sem título.png

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub