Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas da Cidade dos Leões

Um Blog que começou por ser um diário e que cresceu para algo mais. Por aqui os temas vão do desenvolvimento pessoal ao bem estar sempre com dicas e reflexões a propor. Sê bem vindo e se te agrada: segue! :)

Crónicas da Cidade dos Leões

Um Blog que começou por ser um diário e que cresceu para algo mais. Por aqui os temas vão do desenvolvimento pessoal ao bem estar sempre com dicas e reflexões a propor. Sê bem vindo e se te agrada: segue! :)

Ter | 22.09.20

Essencialismo

Nala

Hoje trago-vos um texto um bocadinho diferente do habitual e o tema é o Essencialismo, uma ideia bastante interessante e que me ajuda a decidir onde e quando quero gastar o meu tempo.

Descobri o "essencialismo" através do livro "Essencialismo - A disciplinada busca pelo menos" do autor Greg McKeown

O essencialismo é comparado por muitos ao minimalismo mas fá-lo de uma forma mais esclarecida e consciente. Pessoalmente acho que estas duas filosofias são complementares.

No essencialismo a procura do menos é feita através do "sim" aquilo que nos é essencial, abdicando de todas as oportunidades e propostas que não vão totalmente de encontro à nossa essência ou àquilo que queremos mesmo. 

Esta "filosofia de vida" defende que o nosso tempo e energia são finitos e que é impossível ser bem sucedido em tudo.

Para um essencialista a resposta mais natural vai ser um não porque, se dizemos sim a algo que nem queremos assim tanto, podemos ser obrigados a dizer não a tudo a algo pelo qual ansiávamos.

Usando uma metáfora simples para melhor compreensão o essencialista vê a vida como um vaso e pode colocar lá dentro pedras grandes, pedrinhas mais pequena e areia.

As pedras grandes representam tudo aquilo que nos é essencial. Para uns será a família, para outros o trabalho, para outros causas humanitárias, cada um colocará lá o que bem entender. Cada um de nós é livre de fazer as suas escolhas e dará mais ou menos importância àquilo que bem entender. 

As pedras pequenas representam tudo aquilo que nos é necessário mas não essencial e, por fim, nos espaços em que sobra espaço podemos ou não colocar a areia que representa tudo o resto. 

Em resumo, o que esta teoria defende é que o nosso tempo é precioso e devemos gastá-lo com aquilo que nos é mais querido e não com aquilo que fazemos para parecer bem ou não nos mostrarmos desenquadrados dos outros.

E diremos os nãos necessários sempre que o que nos propõe não vá de encontro aos nossos desejos mais profundos. Mesmo quando a tentação de dizer sim é grande! 

Espero que este post, um bocadinho diferente do habitual, vos tenha trazido algo em que pensar. Se o assunto vos interessa aconselho-vos sinceramente a ler o livro em questão que é interessante e muito fácil de ler. 

E já agora para vocês o que é que é essencial?

Um grande beijinho e até ao próximo post! 

Imagem de https://orcoaching.com.br/essencialismo-essencial-e-nao-ser-banal-de-mais-qualidade-as-suas-escolhas/

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

 

14 comentários

Comentar post