Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas da Cidade dos Leões

Um blog que adora partilhar dicas e reflexões sobre lifestyle, descobertas e organização. Sejam Bem Vindos!

Crónicas da Cidade dos Leões

Um blog que adora partilhar dicas e reflexões sobre lifestyle, descobertas e organização. Sejam Bem Vindos!

Qui | 01.04.21

Crónicas da Família

Nala

A Páscoa, assim como o Natal, são "Festas de Família" e é nestas alturas que muitos de nós sofrem mais pelos "efeitos do confinamento" e das restrições. 

Por família entendo as pessoas que nos são mais próximas e às quais estamos ligados por "laços de sangue".

Há quem considere família apenas o núcleo familiar mais próximo, há quem junte a esse núcleo os avós e os tios/tias e há outros, que tiveram uma educação semelhante à minha, para quem família significa um núcleo muito mais alargado. 

Todos estes tem vantagens e desvantagens e, tal como num casal ou numa amizade, vão sempre haver pequenos conflitos.

Pessoalmente gosto e compreendo a ligação dos meus pais à família alargada mas admito que, na minha conceção de vida, gostava de os ter para mim de uma forma mais intima, nem que fosse só uma vez para saber como é. 

Há, pelo contrário, quem desse tudo por uma família grande... afinal nunca estamos contentes com nada.

Existem ainda aqueles que consideram os eventos familiares horríveis porque se entende mal com a família e que, nesse caso, me pareceria mais lógico assumir a responsabilidade de simplesmente não ir. Afinal se nos faz mal o que vamos lá fazer?

De todas as formas a família é composta de laços e, como todas as relações, deve ser cuidada. Não deve nunca ser assumida como o nosso "saco de pancada" para um dia mal passado e ainda menos um laço familiar nos dá o direito de criticar quem quer que seja. (Sim, sim... quem nunca teve aquela tia que tem sempre uma opinião idiota para partilhar connosco?!) 

Para mim a família deve ser uma âncora. Um local onde possamos voltar e onde possamos sarar as nossas feridas para depois retomar o nosso caminho. Porque somos feitos de caminhos diferentes que se entrelaçam uns nos outros e a nossa missão é seguir o nosso por mais difícil que isso seja. 

Os pais não pertencem aos filhos e muito menos os filhos aos pais e é nesse emaranhado de personalidades diferentes que coabitam e se amam que está a beleza da coisa. E não, não é simples. Mas há alguma coisa de simples aqui debaixo do Sol?

Porque ninguém é feliz sozinho e precisamos uns dos outros. Sempre tratando como se queria ser tratado e sempre respeitando e sendo digno desse respeito! 

E para vocês, qual é a vossa conceção de família? Como estão a viver essa quadra longe dos vossos?

Boa Quinta Feira Santa e até ao próximo post!

annie-spratt-aCIkDGiUFes-unsplash.jpgPhoto by Annie Spratt on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

14 comentários

Comentar post