Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas da Cidade dos Leões

Um blog que adora partilhar dicas e reflexões sobre lifestyle, descobertas e organização. Sejam Bem Vindos!

Crónicas da Cidade dos Leões

Um blog que adora partilhar dicas e reflexões sobre lifestyle, descobertas e organização. Sejam Bem Vindos!

Conflitos

Detesto conflitos! Esta é daquelas frases que me saem pela boca quinhentas vezes por dia. 

Quando adolescente tinha um bocadinho mais de "pelo na venta" mas com o início da idade adulta, e uma série de frases que me foram ditas no sentido de "acalmar os cavalos" (que portanto já não eram propriamente muito nervosos), passei a evitá-los a todo o custo. Respirar fundo, guardar para si próprio, sorrir e seguir em frente... 

Aquilo que ninguém me avisou é que a acumulação do produto deste comportamento é um total envenenamento interior e que nos pode conduzir a espalhar fel nas nossas vidas. 

Com as cabeçadas que dei com isso (e o facto de detestar fel, vá-se lá saber porquê?) voltei a sentir uma certa necessidade de me pôr em causa. Será que discussões e alguns atritos não são uma necessidade tão salutar na nossa vida como uma dor de crescimento? É desagradável, temos de lidar com a irritação/desconforto/desilusão dos outros mas, pelo menos, limpamos a nossa cabeça e fazemos baixar a pressão do nosso lado. 

Não sou, de todo, a favor do conflito gratuito (e admito que ainda jogo um bocadinho com o "encher o copo até ver onde ele transborda") mas, por vezes, sinto essa necessidade de dizer que não, de mostrar (e assumir) as minhas coisas e chamar a mim as minhas responsabilidades e "largar da mão" aquelas que alguém quer deixar escorregar para o meu lado. Com ela também veio uma certa necessidade de exprimir as minhas opiniões, o que faço muitas vezes com alguma desorganização e uma certa rigidez não necessária. 

Talvez precise, no entanto, de aprender a ser mais assertiva. A não dizer as coisas tão a quente... mas para isso tenho de parar de me culpabilizar por dizê-las enquanto ainda estou a frio e não é a raiva que toma a dianteira. Mas a verdade é que ninguém muda em apenas um dia e, com quase 33 anos, ainda me sinto, por vezes, como uma criança que ainda mal sabe dar os primeiros passos. 

christian-buehner-qxP6l32MOZw-unsplash.jpg

Photo by christian buehner on Unsplash

13 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub