Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas da Cidade dos Leões

Um blog que adora partilhar dicas e reflexões sobre lifestyle, descobertas e organização. Sejam Bem Vindos!

Crónicas da Cidade dos Leões

Um blog que adora partilhar dicas e reflexões sobre lifestyle, descobertas e organização. Sejam Bem Vindos!

A Mulher Perfeita é uma chata!

Imaginem que estão a ler um livro onde a personagem principal é uma mulher (ou homem) perfeita, a quem tudo corre bem desde o primeiro dia e que começa a história exatamente como a acaba, feliz e realizada? 

Se existisse um livro assim seria seriamente desinteressante para não dizer mortalmente aborrecido, não acham?

Mais do que a história acompanhamos uma personagem, o nosso herói ou heroína, ao longo das suas aventuras e desventuras. Vibramos por ela, aceitamos as suas falhas, torcemos para que aprenda com os seus erros e vimo-la erguer-se corajosamente depois de cada queda. Sem julgamentos mas sobretudo com o desejo, e a certeza, de que a sua coragem e força farão a balança pender para o lado do final mais feliz possível. 

A nossa heroína é, por norma, alguém de "normal", de imperfeito... alguém que enfrenta uma série de desaires mas que sabe onde vai e sobretudo porque é que vai. Desafia a sua zona de conforto, tem momentos de cansaço e sente vontade de desistir, chora e faz más escolhas. Escolhas essas que a tornarão mais forte e mais capaz de tomar melhores decisões num futuro próximo. 

E nós gostamos da nossa heroína assim e nunca a abandonamos nem a julgamos por causa disso. 

Agora convido-vos a comparar a imagem da heroína com a imagem que temos de nós mesmas.

Temos tendência a ser mais duras connosco próprias, a achar que todos os nossos atos são fruto de falta de capacidade e olhamos para o que nos acontece de mal com despeito e perfecionismo exacerbado. Fazemos julgamentos de valor sobre nós mesmos que seriamos incapazes de fazer à personagem da nossa história. 

Somos nós mesmos os herois e heroinas das nossas histórias e podemos escolher a tratar-nos como tal.

Podemos e devemos esforçar-nos para ser melhores pessoas mas nunca nos podemos esquecer de que ninguém nasce ensinado e sobretudo que o fazer tudo bem o tempo todo é uma missão impossível e que também nós temos necessidade de cair e levantar as vezes que forem precisas pois é isso que nos faz crescer, aprender e conquistar a nossa vitória. 

Por isso, da próxima vez que estivermos perante uma dificuldade, entre julgamentos e vontade de desistir, olhemos para nós como a heroína da nossa própria história. Aquela que vai perder e ganhar, que vai ter vontade de desistir, que escolherá novos caminhos (e nem sempre o certo) e que comete erros, muitos erros.

E não nos esqueçamos nunca que, tal como nos melhores romances, a mulher perfeita, para além de não existir, é uma chata do pior! 

Um grande beijinho e até ao próximo post!

tengyart-wpRfk1NT6Ng-unsplash.jpg

Photo by Tengyart on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

7 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub