Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas da Cidade dos Leões

Um Blog que começou por ser um diário e que cresceu para algo mais. Por aqui os temas vão do desenvolvimento pessoal ao bem estar sempre com dicas e reflexões a propor. Sê bem vindo e se te agrada: segue! :)

Crónicas da Cidade dos Leões

Um Blog que começou por ser um diário e que cresceu para algo mais. Por aqui os temas vão do desenvolvimento pessoal ao bem estar sempre com dicas e reflexões a propor. Sê bem vindo e se te agrada: segue! :)

Sab | 30.11.19

Está a chegar o Natal!

Apresentação do Calendário do Advento da Nala!

Nala

Adoro o Natal. É, de longe, a minha época preferida do ano: As ruas iluminadas, as famílias reunidas, aquela loucura de enfeitar a casa e de, ao mesmo tempo, apreciar o frio lá fora...

É uma época que considero absolutamente mágica e que devia rimar com as palavras "partilha" e "convívio". E é por isso mesmo que vou dedicar estes primeiros 25 dias de Dezembro à realização do "Calendário do Advento da Nala". 

A ideia é que cada post funcione como uma "caixinha" de um calendário do advento que se abre e que nos leva a descobrir um novo texto, um novo tema, um novo desafio ou uma nova reflexão todos os dias. 

Para "ajudar à festa" resolvi convidar alguns amigos do blogue que disseram um "SIM" enorme a partilhar por aqui textos e ideias associadas ao Natal e às experiências e gostos de cada um! 

Espero que desfrutem e que não deixem de partilhar e comentar os posts. Eles foram escritos com muito carinho para vocês! 

E a partir de agora, e durante 25 dias seguidos, estaremos cá todos os dias às 8h!

Boas Festas!

markus-spiske-MxjnYEqAfVA-unsplash (1).jpg

Photo by Markus Spiske on Unsplash

 

 

Qui | 28.11.19

O Melhor do Mês #Novembro

Nala

Desta vez esta crónica chega ligeiramente mais cedo do que o habitual mas, devido à Programação Especial de Natal do Blogue não podia ser de outra maneira... 

Este mês de Novembro que agora chega ao fim combinou com vários descobertas realizadas aqui em casa e que combinam com a gulosice que estes dias frios nos trazem. 

A minha primeira descoberta do mês foram as Tâmaras Medjoul. Sou apreciadora de tamaras mas esta variedade é doce como caramelo e impossível de comer sem chorar por mais. Fiquei de tal forma rendida por esta "Rainha das Tâmaras" que não posso deixar de vos aconselhar a experiência! A procurar numa frutaria ou loja especializada perto de vocês! 

A Segunda grande descoberta do mês foram os Chás "Kusmi Tea". Tinha vontade de os experimentar há imenso tempo mas arranjava sempre uma desculpa para não entrar na loja (tão eu...). Entretanto lá me decidi e trouxe uma embalagem de descoberta com 5 sabores diferentes: Be cool, Detox, Sweet Love, Euphoria e Boost. De todos o Be Cool e o Euphoria são os meus preferidos. Mas sinceramente todos eles valem a pena. Se gostam de chá e ainda não se lançaram nesta experiência não deixem de o fazer. 

O terceiro item não é uma descoberta propriamente dita mas este mês foram uma constante nos meus dias. Os podcasts entraram definitivamente na minha vida e são a companhia perfeita quando vou de manhã para o hospital. Sou fã de podcasts de "psicologia positiva" e "desenvolvimento pessoal" e os meus dois preferidos são em língua francesa e chamam-se (para aqueles que compreendem a língua e/ou se querem lançar nessa aventura) "Change ma vie" de Clothilde Dusoulier e "Se Sentir Bien-Devenir son propre coach" de Esther Taillifet. Claro que não posso deixar de falar no podcast que a Querida "Uma Carta fora do baralho" lançou e que tanto me fez rir ao longo do primeiro episódio. 

Se conhecem bons podcasts em português que queiram partilhar comigo, estejam à vontade! 

Em livros, passei metade do mês a braços com a biografia do psicanalista Carl Jung nos braços. Sempre achei a sua história surpreendente e esta biografia deu-me muitas informações para compreender melhor a personagem, sem contar no facto de ser tão mas tão fácil de ler, apesar do tamanho gigantesco do livro. Fica a sugestão para quem se interessa por biografias e por psicologia. A edição em português do Brasil pode ser encontrada na Amazon. 

E por fim uma personagem que me marcou durante este mês foi Yuval Abramovitz, um maluco por listas (tal como eu) e que as usa como forma de concretizar os seus sonhos. Um homem decidido e apaixonante, mesmo que um pouco exagerado no que toca à sua fixação por concretizar sonhos. Ele têm livros editados, um blog (em hébraico e inglês) e filmes sobre a sua lista e a sua história de vida, que passou por uma cadeira de rodas. Eu conheci-o completamente ao azar quando peguei no seu livro apenas pela piada do "olha, outro que fala de listas". 

Se pessoas inspirantes vos interessam deixo-vos o facebook de Yuval, onde podem encontrar muitas das suas apresentações em TEDTalks e acesso aos artigos do seu blog.

E do vosso lado: quais as descobertas e os favoritos do mês? Fico a aguardar os vossos comentários com impaciência! 

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

 

 

Ter | 26.11.19

História da Menina e da opinião dos "Outros"

A história da Menina que pode também ser a nossa

Nala

Era uma vez uma menina muito decidida e determinada. Quando começou a crescer, no entanto, a sua impulsividade e vontade própria começaram a incomodar as pessoas que viviam à sua volta. 

"Não faças isso, olha que parece mal aos outros", "aqui não é assim que se usa", "tens de respeitar os mais velhos", "não digas asneiras e faz o que te mandam" e "só pensas em ti" foram frases que ela ouviu muitas e muitas vezes. Tantas vezes que as integrou como sendo realidade e deixou de fazer as coisas por si própria mas sim "para não parecer mal aos outros". 

Com os anos, veio o início da vida profissional e social e esta menina continuava a fazer tudo "para não parecer mal aos outros" o que resultou em muitas decisões tomadas contra a sua vontade e uma sensibilidade muito grande à opinião alheia. Ficou vulnerável, fraca, amarga, frequentemente frustrada pois ia-se apercebendo que "os outros" não tinham tantas preocupações com ela, como ela tinha com eles. 

E assim continuou até que um dia, quando estava à beira da desilusão completa, decidiu que estava na hora de fazer algo porque ela própria queria e não para agradar a quem quer que seja. E começou, primeiro de uma forma tímida e depois cada vez mais decidida, a assumir as suas próprias escolhas e a preocupar-se mais com os seus sentimentos do que com os dos outros.

E depois desse dia, mesmo quando lhe chamavam egoísta e a acusavam de pensar apenas em si própria, a menina agora mulher sentia-se feliz. Afinal agora podia ser amada e amar os outros pelo que eles eram e não se preocupar eternamente com o "olhar dos outros". 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Esta história conta algo que acontece, ou aconteceu, com quase toda a gente. Quantas vezes nos disseram os nossos pais e avós, de uma forma completamente inocente, uma frase que se assemelha aquelas escritas lá em cima?

A verdade é que ainda se confunde muito "colocar-se em primeiro lugar" com egoísmo. E, com medo de sermos rotulados (ou que nos rotulem) de egoístas passamos imenso tempo a medir todos os nossos atos e a ter receio de fazer alguma coisa. 

E o resultado disto: deixamos de ser nós próprios e aumentamos, de forma exponencial, as expectativas que temos na forma como "os outros" nos tratam.

Ainda teremos a agravante de nos tornarmos severos em relação aos outros que, ao contrário de nós, decidem a sua vida pela sua própria cabeça. 

Por isso, e antes que seja tarde, assumamos definitivamente a responsabilidade da nossa vida e façamos as coisas por nós (sem passar por cima de ninguém, claro está). Sejamos francos, honestos e fiéis a nós próprios e só ganharemos todos com isso. Nós e "os outros". 

E vocês, reveem-se na história da menina? 

eugenia-maximova-ek_MIjETxJI-unsplash.jpg

Photo by Eugenia Maximova on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

 

 

Dom | 24.11.19

De Coração Cheio!

Nala

Amizade é algo de extraordinário. Ela não liga a dias, a horas, a nacionalidades, a distâncias, a feitios diferentes nem a objetivos. 

Amizade é simples: é a partilha de bons momentos, falar como se não nos vissemos há dois dias mas a verdade é que não nos vemos há 2 anos. 

É fazer maluqueiras, é abrir a porta e ser raptada para uma despedida de solteira fenomenal, tendo em conta os quilómetros e o esforço, a distância e a boa vontade que cada uma teve para estar contigo. 

Foi um grande fim de semana que acabou com um brunch maravilhoso, em que o meu café foi servido com um lindo coração e o meu coração está cheio de alegria! Porque sou abençoada pelas pessoas que aparecem na minha vida e que, neste momento, só me apetece chorar de felicidade por ter cruzado as melhores pessoas do Mundo no meu caminho! 

E, E, H, J e L vous êtes les meilleurs du monde! 

brunch.jpg

 

Sab | 23.11.19

Criticar Menos/Elogiar muito mais

Uma boa forma de mudar o Mundo!

Nala

Temos a crítica fácil... reparamos exatamente naquilo que está mal e não deixamos de o comentar imediatamente. Quase sempre o fazemos de uma forma inconsciente, como se fosse um traço de carácter que faz parte de nós e ao qual não podemos resistir. 

No entanto, pelo contrário, tendemos a ser menos rápidos e desenvoltos no que diz respeito a elogiar. Pesa-nos, é-nos estranho levantar a voz para dizermos algo de bom sobre alguma coisa ou alguém. É quase como se fosse mal visto. 

Mas a verdade é que o elogio não é menos importante que a criticar. Pois, se as criticas ditas construtivas servem para corrigir e ajudar a avançar porque não damos força ao que está bem feito? Não faz sentido, pois não? 

Então do que estás à espera para mudares isso imediatamente?! Faz um elogio, por mais pequeno que seja, a alguém: aquela colega que fez um trabalho extraordinário ou ao empregado do café que é de uma simpatia extrema. Ou de forma mais intensa ao teu companheiro(a) ou a um grande amigo.

E sabes o que é pior no meio disto tudo? É que vai ser estranho ao inicio, como se o elogio fosse algo obsceno e que tens dificuldade em pronunciar. Mas tornar-se-à mais fácil com a prática. E o Mundo será bem melhor depois! 

'Bora criar uma corrente de elogios?

nathan-anderson-FHiJWoBodrs-unsplash.jpg

Photo by Nathan Anderson on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

 

 

Qui | 21.11.19

Inspira, Respira e Não Pira!

Nala

Por vezes temos dias difíceis, em que todos os problemas do Mundo caem sobre os nossos ombros. Mesmo cheios de boa vontade e de energia seremos rapidamente ultrapassados pelos acontecimentos e pelas solicitações e o comum dos mortais vai acabar estourado e à beira de um ataque de nervos. 

O que vos proponho hoje são as 5 técnicas que eu uso para controlar as emoções e conseguir "sobreviver", de preferência sem ter esgotado as minhas reservas de energia, a esses dias. Até porque, como eu digo sempre, "trabalho para viver e não vivo para trabalhar". 

- Planificar e Priorizar: Quando as solicitações não param de chegar e o tempo é escasso tento parar, planificar e priorizar. Ter clareza em relação ao que é mais urgente é meio caminho andado para começar a "desatar o nó" que promete ser esse dia. 

- Fazer uma pausa: Sim, eu sei que parece uma sugestão idiota mas, se te deixares arrastar pela espiral do muito trabalho e pouco tempo acabarás em desespero e tudo será muito mais difícil. Muitas vezes fazer uma pausa, apanhar ar ou beber um café permitem-te olhar para as coisas com uma certa distância e melhorar a tua performance. 

- Delegar tarefas: Sabes aquela máxima do "queres o trabalho bem feito fá-lo tu"?!

Eu sou a primeira a defende-la com unhas e dentes mas, em casos excepcionais, dou a mão à palmatória e delego algumas funções (ok, ok... normalmente são as que me parecem menos importantes, não se pode pedir tudo a uma rapariga que já foi quase uma viciada em trabalho...). Fazer isso permite-me ganhar tempo e disponibilidade mental para as tarefas que precisam mesmo de ser bem feitas.

E, a não ser que trabalhes mesmo sozinha, tens sempre forma de delegar esta ou aquela coisa a alguém. 

- Comunicar: Nos dias em que tenho mesmo muito trabalho pendente e os pedidos para fazer mais isto ou mais aquilo não param de chegar, comunicar com as equipas é essencial. Primeiro porque eles te podem ajudar a priorizar mas também para dividir claramente tarefas e não irem três pessoas fazer a mesma coisa. 

- Sorrir: Parece difícil sorrir quando não sabes para que lado te virar, não é? Eu compreendo.

Mas a verdade é que, quanto mais sorrires mais te sentirás seguro e confiante e, em casos extremos, esta pode ser a tua "bóia de salvação" do dia. E também, sejamos honestos, se estiveres de mau humor isso não te vai ajudar!

Quando comecei a pôr em prática estas cinco ideias elas pareciam-me ridiculas mas a verdade é que não só resultam como me baixam imenso os níveis de stress quando o trabalho aperta. E por aí, quais são as vossas dicas e estratégias para manter o "sangue-frio" num dia daqueles no trabalho?

headway-5QgIuuBxKwM-unsplash.jpg

Photo by Headway on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

 

 

 

Ter | 19.11.19

Como ganhar tempo de manhã

5 dicas simples mas muito eficazes

Nala

Com a chegada do frio e dos dias mais curtos torna-se cada vez mais difícil sair da cama. E quando o fazemos tendemos a avançar muito mais devagar. 

O que te deixo hoje são 5 dicas que eu própria coloco em prática e que me fazem ganhar tempo de manhã, sainda assim de casa sem grandes atrasos e com calma.  

Preparados? 

1) Deixa a roupa preparada de véspera: Durante muito tempo achava ridiculo preparar a roupa de véspera pois, na minha cabeça "não sei o que me vai apetecer-me vestir amanhã". A verdade é que, desde que deixei de pensar assim e resolvi dar uma oportunidade a esta ideia que ganho imenso tempo e sobretudo não tenho de passar em revista o meu dia para perceber se preciso de uma coisa mais ou menos formal. 

Para além disso despacho-me em muito menos tempo! 

2) Evita apoiar no "mais dez minutos": Quanto mais atrasamos o nosso despertador mais temos tendencia a atrasarmo-nos. Por isso das duas uma: ou metes o despertador para muito mais cedo e acabarás por irritar quem dorme ao teu lado ou deixas o dito cujo bem longe da tua cama e levantas-te para o desligar. O importante é não ultrapassar os limites do razoável e levantares-te com tempo para não saires de casa atrasado. 

3) Coordena os teus horários com os dos outros habitantes da casa: Quando estava na faculdade éramos 5 raparigas, com horários relativamente próximos, a usar a mesma casa de banho. Com organização e boa vontade todas conseguiamos sair de casa a horas. Por isso não deixes de falar e de te organizar com as pessoas que vivem contigo e assim ter a certeza que todos estaram despachados às horas previstas. 

4) Deixa tudo à mão: Mala, chaves, documentos, telefone, passe... todas estas coisas podem ser fonte de desespero se andarmos à procura delas logo de manhã. Por isso o que te aconselho é que, tal como a roupa, deixes tudo preparado e junto. Assim só tens de pegar nas coisas e sair, sem mais demoras. 

5) Calcula bem a tua hora de sair: Esta dica pode parecer aberrante mas, a verdade, é que muitas vezes calculamos mal a hora a que nos devemos levantar. Por isso verifica bem na véspera os teus horários e cálcula quanto tempo precisas para te vestires, penteares, maquilhares (se for caso disso) e comeres antes de sair de casa. Quanto mais tempo disponível tiveres menor risco de te irritares, atrasares e teres o dia estragado logo desde a manha. 

E então estas dicas parecem-vos fáceis de aplicar? E vocês são mais do género a correr a maratona de manhã ou a sair de casa com calma? 

maks-styazhkin-ei9OkVw-4O8-unsplash.jpg

Photo by Maks Styazhkin on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

 

Dom | 17.11.19

Pequenos Prazeres #8

Nala

A casa quentinha, o forno ligado com cookies que cozinham lá dentro e que deixam um cheirinho maravilhoso no ar. 

Silêncio... paz e sossego! 

Como preciso de tão pouco para ser feliz! 

rustic-vegan-AwOG1tC5buE-unsplash.jpgPhoto by Rustic Vegan on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

Sab | 16.11.19

Desafio dos 100 Sonhos

Nala

Recentemente lancei-me um desafio: escrever num papel 100 sonhos que pretendo realizar ao longo da vida. 

Se os 10 primeiros foram fáceis, os restantes complicaram-se. 

Primeiro foi o "síndrome da página branca" e depois aquela ideia que nos está tão incutida de que não devemos pedir demasiadas coisas... 

Demorei mais ou menos três horas a conseguir alinhar todos os meus sonhos. Dei por mim a escrever coisas nas quais nunca tinha pensado mas que me correspondem perfeitamente. 

Outras coisas estão mesmo à mão de semear e são de fácil realização. Simplesmente procrastino em relação a elas... e outras exigem um bocadinho de trabalho mas são, provavelmente, realizáveis.

No fim da minha lista estar concluída eliminei todos os itens que me pareciam realmente impossíveis ou despropositados (como por exemplo conversar com a Rainha de Inglaterra. Pois para além de me parecer difícil chegar ao circulo próximo da senhora, junto-lhe o facto de o meu inglês não ser grande coisa e que, para conseguir ter uma conversa sobre a vida de alguém com essa pessoa teria de ter um nível muito muito elevado). 

De seguida dividi os sonhos em 2 grupos. Aqueles que quero começar a realizar já e aqueles que, por razões de timming ou de prioridades serão deixados para mais tarde. 

Acabei com mais ou menos 15 sonhos que me dei como prazo de realização 24 meses. Há alguns que já estão em curso de preparação, como o casamento, por isso será mais fácil. 

Claro que alguns destes sonhos deverão ser substituidos entretanto, afinal nada é estanque, mas de qualquer forma este é um excelente exercício de auto-conhecimento.

E vocês, aceitam o desafio de escrever os vossos 100 sonhos atuais numa folha de papel?

peter-fogden-z7oytXGI6VI-unsplash.jpg

Photo by Peter Fogden on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

 

Qui | 14.11.19

Tomar decisões, aceitar consequências

Nala

O mês de Novembro já vai a meio e o ano está a passar a correr. 2019 foi um ano intenso, difícil mas que me ensinou muita coisa. 

Uma delas é a importancia de tomar decisões. Esta capacidade que temos e que é, ao mesmo tempo uma benção e um desafio, é algo que nem sempre sabemos aproveitar. Ora porque temos medo, ora porque não conseguimos abrir mão de uma coisa em prol de outra.

Durante este ano senti-me muitas vezes a "empurrar com a barriga" os meus problemas e a procrastinar na tomada de decisões. O resultado asseguro-vos que não foi nada bom. 

Sentia-me bloqueada, sem perspectivas e sem capacidade de gerir a minha própria vida. 

Percebi com isso que tomar decisões é libertador, que apesar do medo e das dificuldades que daí podessem vir, não tomar decisão nenhuma é bem pior. 

Aprendi, ao longo deste ano, que todas as decisões têm consequências boas e más e que, no momento certo, saberemos lidar com elas. E só seremos mais fortes e bem sucedidos depois disso. 

Porque mesmo que corra mal ao menos já saiste da posição onde não querias estar... O que é um passo importante para o sucesso! 

E tu, o que esperas para tomar finalmente aquela decisão, grande ou pequena, que te está às voltas na cabeça já há uns tempos?! 

Eu estou aqui, como a prova viva, de que uma decisão bem ou mal tomada é melhor do que nada. E sabes uma coisa?! Estou feliz com isso... 

raquel-martinez-SQM0sS0htzw-unsplash.jpg

Photo by Raquel Martínez on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos.

 

 

 

Pág. 1/2