Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas da Cidade dos Leões

As histórias, o dia a dia e as experiências de uma Portuguesa, expatriada em Lyon (França). Porque a nossa casa é onde nos sentimos bem... e onde somos felizes!

Crónicas de Sábado à Noite!

31.08.19 | Nala

Já fui daquelas que não perdia um Sábado à noite! Saia sempre, nem que fosse para beber um cafezinho. Especialmente nos meses de Verão. 

Com a idade, e sobretudo com o avançar dos projetos de vida, as coisas mudaram um bocado: gosto de uma boa saída, muitas vezes inesperada a meio da semana. Seja um pequeno restaurante, beber um cocktail ou simplesmente passear no centro da cidade. Mas em dias como hoje, em que estou cansada do dia de trabalho, prefiro o conforto de casa, a companhia dele e um bom livro para ler. 

E vocês quais os vossos planos para hoje? 

Bom Sábado à noite aos que saem, aos que ficam em casa e claro aos que trabalham!

jon-tyson-OCv_Rf0fZPo-unsplash.jpg

Photo by Jon Tyson on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos. 

O Melhor do Mês #Agosto

29.08.19 | Nala

Lancei a rúbrica: "O Melhor do Mês" no passado mês de Julho (podem ler aqui) e, como os vossos comentários foram tão favoráveis aqui fica a versão do mês de Agosto. 

Deixo-vos aqui então as minhas 5 melhores descobertas do mês de Agosto. Espero que elas vos sejam úteis ou que vos inspirem. 

- Comecei o mês com a leitura do livro "O lar da Senhora Peregrine para crianças peculiares".

Este livro andava perdido pela minha lista há muito tempo mas decidi-me a lê-lo seguindo a sugestão de alguém aqui no blog. É um livro doce, cheio de bons sentimentos e valores. Se quiserem ir ainda mais longe aconselho-vos a ver o filme realizado por Tim Burton. Já o vi há muito tempo no cinema mas, se bem me recordo, também ele vale muito a pena. 

- A segunda sugestão que vos trago é o documentário "Happy". Ouvi falar sobre ele num canal brasileiro de resenhas de livros mas admito que estava com os dois pés atrás antes de o ler. Apesar de ser o género de comentário onde com o qual é preciso manter uma certa distância adorei vê-lo. O filme é de 2011 e podem encontrá-lo facilmente. 

- Outra excelente descoberta deste mês foi a base de fotografias gratuítas https://unsplash.com/. Este site disponibiliza fotografias de fotografos profissionais que podem ser utilizadas em blogs, por exemplo. Não é necessário colocar a fonte da fotografia mas é apreciado, até para ajudar a dar notoriedade ao trabalho do fotografo em causa. 

Desde que o descobri utilizo-o com regularidade e acho que os meus posts têm ganho com isso.  

- Apesar de não ser de todo o tema do meu blog, não posso deixar de colocar nos favoritos do meu mês de Agosto um produto de maquilhagem. A máscara de pestana da Essence "I Love Extreme" em versão waterproof. Ela é barata e super eficaz.

Tornou-se um dos meus essenciais de beleza ao longo destes últimos tempos e passou claramente o teste durante este mês de Agosto que foi tão quente por estes lados. 

- Para acabar não podia deixar de destacar o Desafio Fotográfico da Maria do blog "Sorriso Incógnito". Adorei realizá-lo e agradeço-lhe a ideia magnífica que teve. Espero que para o ano haja mais!

Para acederem às fotos não deixem de me seguir pelo Instagram do blog

Como podem ver o meu mês de Agosto foi repleto de descobertas. E o vosso? Ficaria feliz de ler as vossas partilhas nos comentários. 

Um grande beijinho e até breve! 

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

 

 

 

Habemus Gás!

28.08.19 | Nala

Com o aproximar do fim de Agosto a normalidade parece querer voltar a Terras Gaulesas: Os tramways e os metros andam a abarrotar, o trânsito voltou aos caos habitual... e o distribuidor de gás fez a sua entrega! 

Tirando os últimos 15 dias sem gás ainda vou ter saudades do mês de Agosto! 

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Se por acaso o conteúdo deste texto te agradar não deixes de o partilhar com familiares e amigos. 

 

 

Mede as tuas palavras!

Uma pequena reflexão sobre como evitar magoar aqueles que amamos (e não só)

27.08.19 | Nala

Hoje gostaria de vos falar de um tema que me toca particularmente, entre outras razões porque eu própria sou perita em fazê-lo e estou a tentar corrigir-me.

Vivemos na era do politicamente correto, onde todos os nossos atos são passados em escrutínio público e onde ninguém, mas mesmo ninguém, se inibe de dizer aquilo que pensa. Mesmo que seja um juízo de valor infundado e, na maior parte das vezes, que nem é dito na hora nem no local certo. 

Sabem aqueles comentários que temos a mania de fazer, normalmente cheios de boas intenções, mas que acabam por magoar os outros? Quantas vezes já vimos o afastamento de pessoas que eram muito importantes para nós por um motivo assim?

Sabem quando aquele nosso amigo veio ter connosco para desabafar e nós, em vez de o escutarmos como um excelente amigo faz, nos limitamos a proferir a frase "Eu bem te avisei".

Se calhar até avisamos, se calhar até tínhamos razão desde o início mas ouvir isso não lhe fazia falta nenhuma, pois não? Acabamos por deixar o nosso ego sobrepor-se ao valor da amizade... e provavelmente magoámos alguém de quem gostamos muito. 

Outro exemplo que todos já fizemos é dizer a uma amiga "és uma sortuda". Até pode ser que seja, aos nossos olhos a mulher mais sortuda do Mundo, mas será que para ela isso é mesmo assim? Não sabemos do que ela teve de abdicar para ter a "sorte" que têm e nem sabemos sequer se ela sente aquilo que têm como sorte ou como um grande azar. Afinal não vivemos os seus dias na sua pele pois não?

Podia passar aqui o dia a dar-vos exemplos de coisas que todos nós já dissemos (e atire a primeira pedra quem nunca) mas não vai servir de nada. Afinal não temos de puxar muito pela cabeça para saber quando fizemos uma desta pela última vez... 

Aquilo que vos proponho é uma reflexão. Não nos podemos colocar no lugar do outro nem saber o que lhe vai na alma, não é mesmo? Mas podemos mentalizar-nos exatamente disso. 

Que não nos esqueçamos nunca de que todos estes comentários que fazemos, sejam eles com melhor ou pior intenção, são fruto das nossas próprias emoções e experiências e não das emoções e experiências de quem está à nossa frente. 

Por isso, quando quiseres fazer um comentário a alguém sobre a sua própria vida fá-lo quando essa pessoa te pedir ou então, se for alguém muito próximo, quando a circunstância o exigir. 

Nunca te esqueças de usar o bom senso, e respeitar o facto de que não conhecemos o que vai exatamente na alma da pessoa.

Dá opiniões que sejam pertinentes e se não tiveres nada de novo a acrescentar escuta apenas, sem julgamentos nem risco de fazer um juízo de valor que pode magoar alguém quando não era de todo essa a intenção.

O único caminho que conhecemos é o nosso próprio caminho e todos os comentários que podemos fazer sobre o outro, e em especial ao outro, são oriundos das nossas próprias experiências que projetamos naquilo que ele está a viver agora. Preservemos o encanto das amizades, o respeito pela posição do outro e sobretudo os seus sentimentos. 

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

 

 

Pequenos Prazeres #4

3 motivos de Gratidão!

26.08.19 | Nala

Há coisas que te dão um prazer dos "diabos"... nem tu sabes bem porquê. 

Como devem saber, se já me seguem há algum tempo, este blogue surgiu como uma resposta a uma sequência de acontecimentos que me deixaram meio atordoada e sem sentir os pés no chão. (Podem ler mais aqui, aqui e aqui).

Hoje aconteceram-me duas situações que me fizeram sentir orgulhosa de todo o percurso de auto-conhecimento, de aprendizagem de  autocontrolo e de reconhecimento pessoal que tenho feito ao longo destes últimos meses e o qual tenho partilhado convosco de forma mais ou menos regular. 

A primeira foi uma frase que ele me disse logo de manhã e que soou a qualquer coisa como: "eu sei que tu vais fazer qualquer coisa, não sei bem o quê mas vais fazer!".

Que sorriso me colocou esta frase nos lábios, especialmente porque a ouvi vezes sem conta dos meus pais enquanto adolescente e jovem adulta e, modéstia à parte, segui sempre um caminho que apesar de difícil me permitiu fazer algumas conquistas que não foram nada negligenciáveis e que me fizeram sentir muitas vezes orgulhosa. 

Esta frase soube-me ainda melhor pois fez-me sentir verdadeiramente "eu". E o meu "eu" andou esquecido num cantinho da minha cabeça durante algum tempo. Senti-me tão feliz por finalmente  ele me ter "reencontrado"! 

A segunda coisa que me alegrou o dia tinha tudo para correr mal. Cheguei a um dos meus serviços de afetação e deparar-me com um problema bicudo. Por motivos de substituições de férias geri o meu serviço principal a tempo inteiro e deixei o meu "serviço secundário" (chamemos-lhe assim) entregue a outras pessoas a tempo inteiro. Admito que, por me sentir menos envolvida nele, aproveitei a oportunidade para o deixar um bocadinho "entregue aos outros".

Este "berbicacho" foi, mais uma vez, fruto de um "profissionalismo" que me parece duvidoso e sobretudo com o qual eu não concordo. Especialmente porque envolveu "omissões".

Ora eu chego lá e, obsessiva como sou, quis perceber o porquê de uma ordem superior não ter sido cumprida.

Consegui perceber o que se tinha passado e a minha vontade naquele momento era de chorar: sabia que ou resolvia o assunto e ia ter de assumir os erros dos outros ou ia sentir-me mal por também eu ter pactuado com algo que me parecia extremamente errado.

Fiz uma pequena pausa de cinco minutos e decidi-me pela primeira opção.

Tenho consciência de que há apenas 2 ou 3 meses atrás teria preferido a segunda e iria ficar o resto do dia e da noite mal comigo mesma, sentiria vergonha da minha falta de capacidade de lutar pelo que acho certo.

Sei que o risco de alguém ficar "chateado" comigo é enorme pois agi em conformidade com aquilo que eu acredito e não com aquilo em que outros colegas acham certo. Mas o meu dever estava cumprido e isso é inegável. E eu sinto-me bem com isso, independentemente das possiveis (e pouco importantes) consequências. 

Já agora, como não há duas sem três, agradeço a cada um de vocês as visitas, os comentários e o carinho com que me têm tratado.

O blogue passou recentemente os 50 seguidores e isso enche-me de alegria! Só vos posso prometer mais e melhor conteúdo e convido-vos a partilhar os meus textos com aquelas pessoas que estão à vossa volta e que talvez precisem de um "empurrão". Se eu fui capaz de sair de um buraco negro onde me estava a enfiar outros também serão! 

Bem hajam! 

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

freshh-connection-Y3OrAn230bs-unsplash.jpgPhoto by Freshh Connection on Unsplash

Os "stresses" dos preparativos para o Casamento... ou a falta deles!

25.08.19 | Nala

Faltam seis meses, mais coisa menos coisa, para o dia do nosso casamento. E, como é normal, sempre que converso com uma amiga a pergunta da praxe vêm: "então e os preparativos?". 

Depois de responder a esta pergunta. De falar sobre os preparativos, a dificuldade que pode ser organizar um casamento à distância e a gratidão por todos os fornecedores estarem rapidamente, e de forma eficiente, atrás dos seus e-mails e sempre prontos a responder, vêm a pergunta fatidica: "então mas não estás nervosa?". 

Ora, como é que se responde a isto especialmente quando vêm de noivas que se arrancavam os próprios cabelos alguns meses antes do casamento.

Não, efetivamente não tenho os nervos em franja, antes pelo contrário. As coisas seguem o seu rumo, nos timmings certos e sem grandes sobressaltos. A quinta está marcada, fotografo e animação também, convites em fase de impressão e falta o vestido, as alianças (que já escolhemos só falta ir buscar) e dois ou três pormenores relacionados com a cerimónia religiosa e a decoração da sala. 

Quanto aos meus nervos, ou falta deles, acho que pûs na cabeça que só iriamos convidar os importantes e que, para esses, a não ser que haja uma grande desgraça, estará tudo maravilhoso. Depois escolhemos fornecedores que nos inspiraram confiança. Vamos ver até ao fim desta caminhada mas se se mantivermos assim não estaremos mal. 

E depois tenho tido tanto mas tanto em que pensar no dia a dia que estou a canalizar todo o meu stress e ansiedade para as outras tarefas. 

Portanto, independentemente de ser ou não o mais comum, não estou nervosa. Vamos ver se as emoções não me batem todas à porta no próprio dia! 

E vocês, como se sentiam a seis meses do vosso casamento?

nathan-walker-m5lNqXBBIy0-unsplash.jpg

Photo by Nathan Walker on Unsplash

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

Crónicas da ... falta de gás!

Ou como manter a paciência quando o mês de Agosto pára tudo em terras francesas!

24.08.19 | Nala

A querida Desarrumada fez um post há uns dias onde falava do facto de Paris se assemelhar a um grande fim-de-semana prolongado durante o mês de Agosto. Pois eu só posso acrescentar que esta situação se prolonga pela França inteirinha! 

Mas se pensam que isto é como um fim-de-semana grande em Portugal onde os supermercados continuam abertos até às 22h... esqueçam. Aqui fim-de-semana é fim-de-semana e ninguém entra no supermercado quando bate a hora de fechar. 

Ora bem mas voltando à desgraça que dá origem a este post: estamos hoje a 24 de Agosto e desde dia 16 a garrafa de gás cá de casa acabou. Não vou comentar o facto de preferir mil vezes uma placa de indução a um fogão a gás mas isso são outros quinhentos. 

Com o fim da botija lá fomos a correr ao supermercado aqui ao pé de casa para ir trocar a velha pela nova. Chegámos lá estava tudo vazio. Corremos aos outros fornecedores de gás aqui da zona ainda tinham menos gás do que o nosso fornecedor habitual, ou seja nada. Por mais que perguntassemos a resposta era sempre a mesma: "o distribuidor está de férias e não sabemos quando volta... sabe: é Agosto!" 

Por isso minha gente, quando se quiserem queixar do nosso Portugalzinho pensem que ainda há pior, bem pior! E não é culpa das greves não senhora, são as férias de Verão. 

Cá em casa resta-nos ter paciência e guardar a boa disposição enquanto damos voltas e mais voltas à cabeça para conseguir fazer todas as nossas refeições no forno (que felizmente é elétrico) e esperar serenamente que Setembro chegue. Acho que o facto de a água do banho ser aquecida pelo sistema central também ajuda a manter a serenidade! 

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

 

Follow Friday # Sorriso Incógnito

23.08.19 | Nala

Este Follow Friday não podia deixar de falar na Maria e no Blog Sorriso Incógnito

Esta rapariga é gira, simpática e têm uns desafios fotográficos maravilhosos. Eu estou a adorar o seu #Quenuncanosfaltemsorrisos.

Não deixem de passar pelo blogue da querida e doce Maria... e já agora também pelo instagram para acompanharem este fantástico, e sorridente, desafio. 

Aniversários!

O aniversário dele + dois pequenos conselhos para organizar um aniversário com pouco dinheiro.

22.08.19 | Nala

Gosto de aniversários. Ao contrário daquilo que ouvimos com alguma frequência este dia não me pesa antes pelo contrário: Sinto-me Grata por ele!

Grata pela vida, pela saúde e por todo o caminho percorrido. Grata pelos projetos que estão para vir e por todas as "cabeçadas" que darei até entrar nos "eixos". 

Se sou doida por fazer anos também adoro festejar os anos daqueles que amo e desde Agosto de 2016 que tenho sempre um aniversário muito especial para preparar: o aniversário dele.

Gosto de marcar esta data, especialmente porque sei que ele, por ter nascido em Agosto, nem sempre teve a oportunidade de juntar os amigos numa grande festarola. 

Este ano tivemos a feliz coincidência de ter a visita programada à última hora da minha mãe, do meu irmão e da minha avó. 

Comecei a magicar este dia e as surpresas que podia preparar com, pelo menos, um mês de antecedência. 

De manhã, e como ele não ia trabalhar, deixei-lhe um postal em cima da almofada com uma mensagem de feliz aniversário. Nesse postal estava também uma charada onde ele encontraria um primeiro presente. Nada de muito "caro", apenas uma lembrança simbólica. 

Por volta do meio dia liguei-lhe a perguntar se estava em casa. Tinha programado tirar a tarde e fazer-lhe assim uma segunda surpresa. Quando cheguei a casa escondi um segundo presentinho igualmente barato. Um pequeno jogo de charadas que sei que ele iria adorar.  

Para festejarmos como deve ser fiz eu própria um grande bolo de aniversário. Andei a magica-lo durante muito tempo e, independentemente de não ter ficado exatamente como tinha imaginado ficou muito bom e deixou-o a ele feliz e a mim orgulhosa pelo trabalho realizado. 

No final do jantar, num momento de troca de prendas familiar, acabei por lhe oferecer um tão desejado presente que ele tanto me tinha pedido durante meses a fio.

Foi um dia muito simples, muito caseiro mas dos mais especiais que se pode ter.

Se vos posso dar um conselho para quando quiserem surpreender as pessoas que amam pelo seu aniversário é, em primeiro lugar, de lhe darem "tempo" pois é a vossa companhia que elas mais vão apreciar.

O segundo conselho é de não se "empenharem" a dar presentes que vos ponham numa má posição financeira mas sobretudo tentar fazer coisas com as vossas mãos: um bolo, um álbum de fotos, uma compilação das músicas que mais marcam a vossa relação podem ser presentes muito significativos e a baixo custo. 

A pessoa em questão vai adorar e tu vais ficar orgulhoso de ti. Basta apenas muito amor, imaginação e um bocadinho de paciencia e tornarás o seu dia extraordinário.

bolo.jpg

Não te esqueças de acompanhar as Crónicas da Cidade dos Leões no Instagram e no Facebook: há muita coisa a acontecer por lá.

 

Pág. 1/3